Importância da Agricultura familiar é tema da palestra do gestor da SARA, Wellington Batista, na ExpoSertão 2018

Secretário de Agricultura também participou de mesa de debates ao lado da prefeita de Petrolândia e demais autoridades, em auditório lotado

Atendendo a convite da gestão municipal de Petrolândia, no Sertão de Itaparica, o secretário de Agricultura e Reforma Agrária (SARA), Wellington Batista, proferiu palestra sobre o tema “Importância da Agricultura Familiar”, para auditório lotado. O evento aconteceu neste sábado (10) durante realização da 4ª edição da Feira de Empreendedorismo e Negócios de Petrolândia (Exposertão), um dos maiores eventos de negócios do interior do Estado. A feira foi encerrada neste domingo, no Parque João Pernambuco.

 

Na ocasião, que contou com a presença da prefeita Jane Souza, também houve  palestras com o mesmo tema, feitas pelo superintendente regional do Incra do Médio São Francisco, Bruno Medrado, e pelo  delegado federal do desenvolvimento agrário de Pernambuco, Rodrigo Almeida. O secretário de Agricultura abordou diversos aspectos do tema, a exemplo dos números relacionados ao setor no Estado, das leis federal e estadual, as dimensões da agricultura familiar em Pernambuco, no Nordeste e no Brasil, a participação do setor no PIB, os principais produtos e os desafios e perspectivas para a agricultura. Wellington Batista reforçou que 70% dos alimentos que chegam à mesa da população são produzidos pela agricultura familiar, garantindo a segurança alimentar e nutricional.

 

Esclareceu que o governador Paulo Câmara trata o tema como uma de suas prioridades, por isso o Governo de Pernambuco, por meio da SARA, vem realizando diversas ações e projetos de apoio ao setor, como obras hídricas (sistemas simplificados de abastecimento, poços, barragens e cisternas); assistência técnica e extensão rural, programas Garantia Safra e Leite de Todos, apoio às feiras agroecológicas e da agricultura familiar em diversos municípios, dentre outros. “Todas as políticas públicas são executadas com muito empenho pela SARA e vinculadas, considerando também a importância do diálogo com associações, movimentos sindicais e sociais”, pontuou o secretário. Após as palestras, houve uma mesa de debates, com abertura de perguntas ao púbico, respondidas pelas autoridades presentes.

 

Ao final, foram entregues 14 títulos de posse do Iterpe à famílias do assentamento Januário Moreira, que, neste ano, já haviam recebido outros 112 títulos. Participaram do evento José Cláudio, secretário executivo da Agricultura Familiar (SEAF), da SARA; Augusto Miranda, gerente de Reordenamento Agrário do Iterpe; Kleyton Lima, coordenador do Escritório do ProRural em Petrolândia, Rogério Viana, secretário de Desenvolvimento Econômico e Agrário de Petrolândia; Onildo Cantarelli, secretário de Agricultura de Itacuruba; Emanoel Guedes, secretário adjunto de Agricultura de Itacuruba; Raquel Alice, do Sebrae; e Geraldo Firmino, do Projeto Dom Hélder.

 

Edição 2018 – A ExpoSertão tem foco na cultura empreendedora e geração de oportunidades de negócios, e como objetivo principal divulgar os potenciais do Sertão e incentivar o desenvolvimento sustentável na região. É realizada pela prefeitura municipal de Petrolândia, em parceria com Sebrae, Sesc, Senac, Fecomércio e ADDiper. Esta edição contou com programação diversificada sobre agropecuária, turismo, comércio e serviços, e palestrantes de renome nacional e internacional, além de atrações culturais e musicais. Palestras, seminários, encontros, mesas redondas, desfiles de moda, concurso da ovinocaprinocultura, festival gastronômico, feira de artesanato, feira do peixe vivo, apresentações musicais e culturais, parque de diversões, premiações e escolha dos empreendedores de destaque da região foram atrações da feira.

‘Se for necessário prender 100 mil, qual o problema?’, pergunta Eduardo Bolsonaro

Por: AE/Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, de 34 anos, devia acompanhar o pai, o presidente eleito Jair Bolsonaro, em sua primeira visita ao Supremo Tribunal Federal (STF), na quarta-feira, dia 7. Seu apartamento ainda guardava marcas na mesa da primeira reunião da equipe de transição, na noite anterior.
Reeleito com 1,8 milhão de votos em São Paulo – o mais bem votado da história da Câmara -, o filho do presidente afirmou que vai lutar para tipificar como terrorismo os atos do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) um dia depois de o futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, mostrar sua discordância sobre o tema. “Se for necessário prender 100 mil. Qual o problema?”, perguntou.
Eduardo Bolsonaro também quer tornar o comunismo crime. Defendeu uma idade mínima para a aposentadoria diferente entre trabalhadores braçais e de escritório e a aprovação do projeto Escola Sem Partido, além de propor uma Constituinte exclusiva para a reforma política. O parlamentar não descarta ser candidato a prefeito ou governador de São Paulo e almeja criar um Foro de São Paulo da direita. Eis sua entrevista.
Indicar Sérgio Moro para a Justiça não dá munição ao PT para dizer que Lula foi perseguido?
Não vejo nenhuma perseguição ao PT. Ele condenou gente de todos os partidos. Não temos essa preocupação, pois eles sempre vão criticar.
O sr. disse que era preciso um presidente da Câmara com perfil de trator. O governo não quer negociar com a oposição?
Negativo. A oposição é saudável. O que não é saudável é você tentar a todo custo derrubar um governo só para que os seus correligionários cheguem ao poder. Com essa oposição, no qual se enquadram, principalmente o PT, PCdoB e o PSOL, não existe espaço para dialogar. Como vou dialogar com o MST invadindo terras? Não tem como. Agora, com assentado de reforma agrária que quer produzir tem como conversar. Com os demais – PSDB, MDB, PP – não tem problema.
Essa negociação incluiria as eleições das presidência do Senado e da Câmara?
Sim.
Com a manutenção de Maia?
Eu, pessoalmente, tenho a preferência por outros.
Capitão Augusto (PR-SP)?
Dei uma entrevista e elogiei ele. Tem outros que eu gosto: o João Campos (PRB-GO) e o Alceu Moreira (MDB-RS). E tem o Giacobo (PR-PR).
O mesmo vale para o MDB no Senado? Renan é um nome?
O Renan é um pouco mais complicado. Ele segurou a redução da maioridade penal e é favorável ao desarmamento. Ele foi o autor do projeto de nova lei de abuso de autoridade, que ficou conhecida na sociedade como uma lei para brecar a Lava Jato. Esse perfil é impossível obter nosso apoio no Senado.
O PT sempre foi criticado por ter radicais e agora o PSL começa a ouvir as mesmas críticas…
Por exemplo, quem?
Existem propostas defendidas, inclusive pelo sr., como criminalizar o comunismo?
Ué, o nazismo é crime?
Mas ele não colocaria dois partidos políticos fora da lei, o que entraria em atrito com a liberdade estabelecida na Constituição?
E vai continuar estabelecendo.
Esse tipo de proposta será levada adiante ou faz parte do passado, da retórica de campanha?
Não. É uma proposta que eu gostaria que fosse adiante, mas que depende de renovação do Congresso. É seguir o exemplo de países democráticos, como a Polônia, que já sofreu na pele o que é o comunismo. Se você for na Ucrânia também falar de comunismo, o pessoal vai ficar revoltado contigo. Outro países também proibiram, como a Indonésia. Um dos papéis dos parlamentares é conscientizar as pessoas.
Nos Estados Unidos o partido comunista é legal. O exemplo da democracia americana não é melhor para ser seguido do que o da Polônia e o da Indonésia?
Olha, nesse ponto, eu vou discordar. Os Estados Unidos já travaram durante a Guerra Fria um forte embate com os comunistas e graças a Deus os comunistas perderam. Talvez nunca tenham feito uma lei nesse sentido porque não tiveram um exemplo como o da Venezuela.
A esquerda fez o Foro de São Paulo. O sr. pretende ter o Foro de São Paulo da direita?
Eu quero aproveitar essa onda conservadora para dar uma resposta ao Foro de São Paulo. Semana que vem vou aos Estados Unidos. O Steve Bannon tem o Movement, que conta com a participação do Salvini (Matteo Salvini, ministro do interior da Itália). A gente quer ter uma conexão internacional para a troca de ideias, pensar em medidas que estão sendo feitas de forma pioneira na Itália que a gente possa fazer aqui. É participar do jogo democrático de forma organizada.
O sr. acha que será preciso fazer muita mudança no corpo de funcionários do Itamaraty, assim como no da Educação?
Eu acredito que sim. O que eu escuto falar é que o Itamaraty é um dos ministérios onde mais está arraigada essa ideologia marxista e onde haveria uma maior repulsa ao presidente Jair Bolsonaro. Tem um corpo técnico qualificado ali dentro. Mas o que não pode ter é o que nos Estados Unidos tem lá o que o Trump chama de deep state, pessoas do próprio governo sabotando o governo.
O governo Bolsonaro não quer trocar uma doutrinação de esquerda pela de direita?
Negativo. Negativo. A gente quer expor todas as versões históricas, a gente quer ampliar o debate e não monopolizar em cima de uma teoria.
Quais as dez medidas que o governo e o PSL não abrem mão para aprovar no Congresso?
Desburocratização, reforma da Previdência, incentivos e garantias para o agronegócio, retaguarda jurídica para a polícia revogação do Estatuto do Desarmamento e nova lei de controle de armas, o Escola Sem Partido, proibição do aborto e outras que não dependem de projeto, como a aproximação com os países pelo viés comercial e não ideológico e a defesa da liberdade de imprensa.
O Supremo proibiu qualquer atentado à liberdade de cátedra nas universidades. O Estatuto do Servidor Público já veda a propaganda partidária no serviço. O projeto Escola Sem Partido não seria inócuo e inconstitucional?
A lei está sendo desrespeitada com frequência. Eu acredito que o projeto não é inconstitucional, mas nós aceitaríamos conselhos e conversar com reitores e com ministros do STF, sem problema nenhum. O projeto não é inócuo, tanto que está balançando o Brasil.
Tipificar como terrorismo as ações do MST não faria a organização ser considerada terrorista pela Lei Antiterror? A mera participação nesse tipo de organização não poderia fazer a Justiça ter de decretar a prisão de cem mil pessoas ou quantos membros tenham esses grupos? Moro disse discordar. Existiria uma meio termo nessa questão?
O que ocorre hoje é que grupos como o MST por vezes utilizam o seu poder criminoso para invadir terras, incendiar tratores para obrigar o fazendeiro a vender suas terras a um preço abaixo do mercado. Eles impõem o terror para ganhar um benefício. É isso que a gente visa a combater. Isso aí é terrorismo. Se fosse necessário prender cem mil pessoas, qual o problema nisso? Eu vejo problema em deixar cem mil pessoas com esse tipo de índole, achando que invasão de terras é normal, livres para cometer seus delitos. Eu quero dificultar a vida dessas pessoas.
Há muitos anúncios e desmentidos nesse começo da transição. Por que estão sendo tão comum essas vozes dissonantes?
Muitas das coisas que deveriam ser tratadas de maneira interna, até por inexperiência política, vêm à tona e, obviamente a imprensa explora isso. Então dá essa sensação. Acho que está tudo dentro da normalidade. Falta só um ajuste de comunicação.
Que reforma política o PSL defenderá no Congresso?
Deputados do partido, como Luiz Philippe Orleans e Bragança, defendem o voto distrital. Outros, o voto distrital misto. A verdade é que todas essas matérias já foram tratadas quando Eduardo Cunha foi presidente da Casa. Acredito que uma reforma política que venha a mudar a estrutura do sistema só é possível se for feita em uma Assembleia Constituinte exclusivamente para esse propósito.
O sr. defende uma Constituinte exclusiva para a reforma?
Eu acho que é o caso. Normalmente, quem chegou ao poder, chegou com esse sistema que aí está. Então os deputados são reticentes em mudar esse tipo de sistema para não prejudicar a si mesmos.
Reforma da Previdência dos senhores traria uma idade mínima para trabalhadores braçais diferente para os que trabalham em escritórios?
Não acho justo que tenham a mesma idade mínima. E sou crítico. O ideal é o que passa no Congresso. No meu entendimento, isso tem de ser gradual. A vida útil de um trabalhador braçal é diferente do trabalhador que trabalha exclusivamente com seu intelecto. Uma pessoa que precisa do vigor físico para trabalhar não vai conseguir trabalhar até os 65 anos, como pedreiros e esportistas. O ideal é que exista uma aposentadoria gradual. Mas quem vai dar esse norte é o Paulo Guedes.
Mas o sr. entende que seriam justas essas diferenças?
Eu apoiaria essa medida sim.
É o mesmo para os militares?
Também. Se você olhar o risco e a expectativa de vida de um policial militar do Rio, ela é muito abaixo da média nacional. Isso dá maior embasamento para a antecipação da aposentadoria. Não pode tratar igual situações que são diferentes.
Se a legislação permitir, o sr. será candidato à Prefeitura ou ao governo de São Paulo?
Não pensei nisso. Muita gente fala da Prefeitura, do governo. Não descarto, mas não aceito. Está na esfera da cogitação.

Bolsonaro vai reforçar comunicação digital do governo nas redes

Por: AE

Eleito presidente da República com campanha realizada principalmente em redes sociais, Jair Bolsonaro (PSL) quer manter a estratégia e torná-las o principal instrumento de comunicação de seu governo, a partir de 1º de janeiro, quando assume o Palácio do Planalto.

Na última quarta-feira (7), a pedido de Bolsonaro, o vice-presidente eleito, general da reserva Hamilton Mourão (PRTB), esteve na agência de publicidade Isobar, uma das duas que cuidam das mídias sociais do governo Michel Temer (MDB). “O foco é reforçar a comunicação digital, que é a mídia do Bolsonaro, que é a mídia do Trump (presidente dos Estados Unidos Donald Trump)”, disse o general Mourão. Para ele, “aquele processo antigo de comunicação, via filmetes, propagandas tradicionais, será abandonado”. “A mídia digital é o método fundamental para conseguirmos nos comunicar, muito mais do que essas outras propagandas que gastam rios de dinheiro”, completou.
A missão de Mourão foi visitar a empresa para levar a Bolsonaro informações sobre o funcionamento das agências que cuidam da comunicação digital da atual administração e como o futuro governo pode aproveitá-las. Há um contrato em vigor, de R$ 45 milhões ao ano, que termina em março, mas pode ser prorrogado por mais um ano. “Eu defendo intenso uso das mídias sociais como forma mais eficaz de se comunicar com a sociedade. A comunicação do mundo moderno hoje é em rede”, afirmou o vice-presidente eleito.
Mourão não quis antecipar sobre a possibilidade de prorrogação do contrato, alegando que essa é “uma questão de gestão”. “A minha visão é que o trabalho (da empresa) é muito bom. Mas tudo precisa ser levado para o presidente Bolsonaro”. Além da Isobar, visitada por Mourão, a agência de publicidade TV1, também faz o trabalho de mídias digitais do governo Temer.
A licitação que aprovou as duas empresas foi realizada ainda no governo da petista Dilma Rousseff, em 2015, podendo ser prorrogada por até cinco anos. Integrantes do PSL, partido de Bolsonaro, defendem que o governo amplie a presença na internet e dê preferência a esse tipo de comunicação. Para eles, essa é a forma mais eficiente e barata de se chegar à população.
O general Mourão acredita que o desenho da comunicação no governo Bolsonaro será diferente do utilizado atualmente, mas não antecipou formato ou quem ficará à frente do setor no Planalto. Está decidido, no entanto, que a área não terá status de ministério, como aconteceu em administrações passadas.
Atualmente, a Secretaria de Comunicação (Secom) tem cerca de 20 pessoas que trabalham diretamente com a área digital do governo Temer, além das ações e campanhas desenvolvidas pelas empresas contratadas. A Secom hoje é vinculada à Secretaria-Geral da Presidência. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
fonte: Estadão Conteudo

Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira inicia Projeto Câmara nas Escolas

A Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira inicia esta semana o Projeto Câmara nas Escolas. O Projeto é idealizado pelo presidente da Casa, vereador Igor Mariano, e conta com o apoio de todos os parlamentares. O presidente falou da sua expectativa; “Esse é um projeto que vinha batalhando para destravar desde o início do ano, visa educar nossos jovens sobre o papel do legislativo, estou muito feliz que vamos conseguir realizar este momento de discussão, agradeço demais a Secretaria de Educação e aos professores da rede municipal, sem eles isso não seria possível”, destacou Mariano.

O que é o Projeto?

O Projeto foi criado pela Câmara Municipal e conta com o apoio irrestrito da Secretaria de Educação e dos professores da rede municipal. Na sua essência o projeto visa aproximar os alunos da rede municipal com o Poder Legislativo, os alunos do 9º ano terão a oportunidade de visitar as instalações da Câmara Municipal e discutirem com os vereadores as funções e o papel do legislativo, suas comissões, formas de proposições, etc. Também teremos um momento de perguntas e respostas sobre as atividades do legislativo à luz da Constituição Federal, da Lei Orgânica Municipal e do Regimento Interno da Casa.

Quais as escolas que poderão participar do Projeto?

Todas as escolas da rede municipal de ensino, o público alvo acordado entre Câmara Municipal e Secretaria de Educação foram os alunos do 9º ano.

Os alunos receberão algum material didático?

Sim, foi elaborada uma cartilha detalhada pela Câmara Municipal sobre todos os temas que serão debatidos na visita até o Poder Legislativo, todos os alunos receberão este material.

Serra: Posto Policial é inaugurado no Distrito de Varzinha

A Prefeitura de Serra Talhada e o 14º Batalhão de Polícia Militar (BPM) inauguraram, na última quinta-feira (08), o Posto Policial do Distrito de Varzinha. O equipamento funciona no prédio do antigo posto de saúde da comunidade, que foi reformado, mobiliado e doado pela Prefeitura Municipal à Polícia Militar para implantação do Posto Policial, atendendo uma demanda da população por mais segurança.Na ocasião, o prefeito Luciano Duque destacou a implantação de mais um posto policial em parceria com a Polícia Militar e anunciou o início das obras de saneamento do açude de Varzinha. “Depois da Primeira Companhia no Vila Bela estamos entregando mais um equipamento junto com a Polícia Militar, um posto que vem para trazer mais segurança para Varzinha e também para Caiçarinha da Penha e Tauapiranga. Agradeço a todos que contribuíram, aos vereadores de oposição e situação, ao comando da Polícia Militar e a população por mais essa conquista. E quero anunciar também que conseguimos os canos junto à Codevasf e ao deputado Fernando Filho e vamos iniciar a obra de saneamento do açude da comunidade, implantando uma rede de esgoto para que a partir do ano que vem a populaç ão tenha água limpa para utilizar”, afirmou.O Posto Policial dispõe de viatura própria e guarnição diária com três policiais militares. “Isso era um pedido da população, ouvimos os representantes da comunidade, fizemos um estudo de situação, o governo do Estado entrou com armamento, viatura e efetivo e o governo municipal com a instalação e mobília do local, e juntos nessa parceria realizamos o sonho da comunidade de Varzinha e de toda zona rural próxima, onde vamos trazer projetos sociais como o PROERD, Patrulha Mirim, Patrulha Maria da Penha e esportes, porque entendemos que não é somente repressão, os projetos sociais são fundamentais”, destacou o comandante do 14º BPM, Tenente-Coronel Girley Figueiredo.Moradora de Varzinha, Lúcia Araújo comemora a chegada da Polícia Militar na comunidade. “A gente lutou, fez abaixo-assinado porque estavam acontecendo muitos assaltos eVarzinha precisava de segurança, agora estamos felizes e agradecidos ao prefeito Luciano Duque por doar o prédio e ao comandante Figueiredo que deu a palavra e cumpriu”. Mesma opinião compartilha o jovem morador Michel oliveira. “Fazia um tempo que esperávamos a presença da polícia por causa dos delitos na região, começamos a nos unir e fomos atendidos pelo prefeito Luciano Duque e pelo comandante da polícia que fizeram o que estavam ao alcance e hoje nos sentimos muito mais seguros”, disse.

CRIANÇAS LOTARAM PRAÇA ARRUDA CÂMARA NO ENCERRAMENTO DA SEMANA DO BEBÊ

Pelo sexto ano consecutivo, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira promove a Semana do bebê. Com um trabalho integrado de diversas secretarias, a Prefeitura levou o debate sobre a importância dos cuidados com a primeira infância para as escolas, unidades de saúde, faculdade e equipamentos da assistência social. “Foi uma semana muito rica, com muitas atividades, onde pudemos levar a ação pública e dar visibilidade aos cuidados com nossas crianças, tendo como tema ‘a primeira infância na era digital’,” destacou a coordenadora do Selo Unicef, Socorro Martins.

O encerramento aconteceu na Praça Monsenhor Alfredo de Arruda Câmara, e reuniu centenas de crianças, pais, professores e a população em geral. Alunos das escolas da rede municipal apresentaram os resultados das oficinas de confecção de brinquedos com material reciclável. As crianças que estudam nos centros de educação infantil e nas demais escolas, apresentaram números de canto e dança, enfatizando a importância da amizade e do respeito para com o próximo.

Por recomendação médica, o bebê-prefeito Wesley Matheus, recém-nascido, não pode comparecer ao encerramento para receber a chave da cidade. “Como ele é muito novinho e inspirou alguns cuidados médicos esta semana, o pediatra achou por bem preserva-lo dessa agenda”, informou Socorro Martins. A previsão é de que a chave da cidade, o kit com produtos infantis e o banner comemorativo, lhe seja entregue na próxima semana, durante a abertura da Conferência Municipal da Criança e do Adolescente. O vice-Prefeito Alessandro Palmeira falou em nome do Prefeito José Patriota. “Temos obtidos indicadores importantes no cuidado com a nossa infância. Reduzimos a mortalidade infantil em 66%, ampliamos as consultas de pré-natal, abrimos o Centro de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente, o Centro de Atenção Psicossocial Infantil, e temos nossa educação entre as cinco melhores de Pernambuco,” destacou Alessandro Palmeira.

A noite foi encerrada com as apresentações do balé Raízes Afogadenses, composto por crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, coordenados pelos facilitadores de dança Rodrigo Faustino e Daniela Levino. Elas apresentaram o espetáculo “Viva meu São João”. Em seguida foi a vez do Balé Cultural Expressart, com uma apresentação de Maracatu. As crianças atuaram sob a coordenação de Daiana Levino e inauguraram um novo figurino.

PREFEITOS DA PARAÍBA VEM A AFOGADOS CONHECER MODELO DE GESTÃO

A visita para conhecer os indicadores e o modelo de gestão era para ter acontecido antes, mas a agenda corrida do Prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, não permitia. Os Prefeitos José Aílton, de Arara, e Douglas Lucena, de Bananeiras, ambas cidades Paraibanas, conheceram Patriota nos diversos encontros municipalistas promovidos pela CNM – Confederação Nacional dos Municípios, e se encantaram pelos relatos sobre Afogados.
Esta semana eles vieram conhecer de perto nossa cidade e como funciona a sua administração. Ao lado do Prefeito José Patriota, eles conheceram o funcionamento da Usina de Asfalto, adquirida com recursos próprios em 2013, bem como os benefícios e a economia que ela proporciona quando o assunto é pavimentação de vias públicas e operação tapa-buraco. No centro de logística, Patriota apresentou vídeos sobre diversas ações da Prefeitura, como o do sistema de reuso de água do Vianão, da Serra do giz, balanço de gestão e um vídeo sobre as potencialidades culturais e turísticas de Afogados. Eles também foram apresentados ao funcionamento do modelo de gestão com monitoramento semanal e foco em resultados.
“São Prefeitos amigos que fiz, que se encantaram com o que eu dizia sobre nossa querida Afogados, e me cobravam para vir conhecer a cidade e o nosso modelo de gestão. E agora foi possível atende-los e poder divulgar nossa cidade, nossas potencialidades, e poder também trocar conhecimentos, sobretudo na área turística e de empreendedorismo, onde eles tem alguns projetos interessantes em execução,” destacou Patriota.
Bananeiras fica situado na Serra da Borborema, a 141 km de João Pessoa. Tem 22 mil habitantes. Já Arara, fica em uma zona de transição entre o Brejo e o Sertão, com uma população de 13 mil habitantes. Dista 155 km de João Pessoa. Os Prefeitos vieram acompanhados de alguns secretários municipais. A agenda contou também com a participação do Vereador Franklin Nazário.

Prova de matemática do Enem 2018 teve dificuldade média e exigiu que candidatos ‘matassem charadas’, diz professor

Ao G1, professor de matemática que fez a prova do Enem 2018 disse que questões demandavam tempo do candidato até descobrir que habilidade estava sendo exigida.

Inscrito no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018, o professor de matemática Felipe Freire, do Sistema COC de Ensino, fez o segundo dia de provas neste domingo (11) e afirmou ao G1 que o conjunto de 45 questões de matemática teve dificuldade média. A partir das 18h, o G1 terá um programa ao vivo para corrigir e comentar a prova. E também apresentará um gabarito extraoficial. O gabarito oficial das provas só será divulgado na próxima quarta-feira (14), e as notas individuais saem no dia 18 de janeiro.

“No conceito geral, posso classificá-la como média. Não posso classificá-la como fácil, mesmo tendo questões de resposta óbvia, mas também não posso falar que a prova foi extremamente difícil, exceto na parte da interpretação das questões”, afirmou ele.
No geral, Freire afirmou que o nível da prova foi “pesado”, no sentido de que os estudantes precisavam de um certo tempo para interpretar o enunciado e descobrir qual era a habilidade exigida. “Se você fosse relacionar as interpretações das questões, para o aluno matar qual era a charada da questão até o desenvolvimento dela, demandava um tempo”, explicou ele.

Elogios aos gráficos
“Os gráficos foram muito bem utilizados durante praticamente todas as questões. Sem falar que questões que englobavam somente interpretação de gráfico caíram em peso”, afirmou Felipe Freire. “Do gráfico você partia para o cálculo e do cálculo você partia para o gráfico, essa correlação era constante.” Minecraft, orquídeas, carro ‘flex’…
O segundo dia de provas do Enem 2018 teve questões sobre mutação genética, rastreamento de bagagem nos aviões e corrente elétrica dos peixes. Uma questão que se destacou foi inspirada no popular game Minecraft para exigir dos candidatos conhecimentos para calcular a dimensão de um cubo.

#AprendinoEnem

Como já virou tradição, muitos candidatos foram direto ao Twitter depois de saírem do local de provas. O objetivo é brincar com os temas que apareceram nas questões. Neste ano, Minecraft ganhou destaque entre os memes na rede social.

Fonte: G1

Médico Roberto Kikawa, criador das Carretas da Saúde, é morto a tiros em São Paulo

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o gastroenterologista de 48 anos foi vítima de assalto no Ipiranga, Zona Sul da capital.

O médico gastroenterologista Roberto Kunimassa Kikawa foi morto a tiros na noite deste sábado (10) durante um assalto no bairro do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo. Kikawa tinha 48 anos e é conhecido por ter fundado, em 2008, a Carreta da Saúde, iniciativa que leva atendimento médico especializado em unidades móveis a pacientes de baixa renda do SUS. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), policiais militares foram acionados para atender a uma ocorrência de disparo de arma de fogo na Rua do Manifesto. Ao chegar lá, encontraram o médico dentro de seu jipe.

Kikawa chegou a ser socorrido ao Hospital Ipiranga, mas não resistiu aos ferimentos. A secretária dele, que o acompanhava no momento do assalto, informou à polícia que dois homens armados os abordaram quando eles estavam dentro do carrro. Os criminosos ordenaram que eles deixassem o veículo. Quando Kikawa saiu do carro, foi baleado. O caso foi registrado no 16º Distrito Policial, da Vila Clementino.

O CIES Global (Centro de Integração de Educação e Saúde), entidade da qual Roberto Kikawa era diretor executivo, divulgou nota de pesar na qual afirma que o gastroenterologista “fundou o Projeto CIES em 2008 com uma Carreta da Saúde, em cumprimento a uma promessa que fez ao pai, vítima de um câncer”. “O juramento consistia que ele fosse um médico mais humano, que olhasse nos olhos das pessoas e as atendesse com a atenção que mereciam”, diz a nota do CIES Global.

Veja a íntegra da nota de pesar do CIES Global:

“O CIES Global comunica, com imenso pesar, o falecimento do nosso fundador e diretor executivo, Roberto Kunimassa Kikawa, vítima da violência na cidade de São Paulo, após o disparo de tiros em um assalto. O médico gastroenterologista fundou o Projeto CIES em 2008 com uma Carreta da Saúde, em cumprimento a uma promessa que fez ao pai, vítima de um câncer. O juramento consistia que ele fosse um médico mais humano, que olhasse nos olhos das pessoas e as atendesse com a atenção que mereciam. Dez anos depois, Roberto deixa um legado de mais de 2 milhões de pacientes do SUS acolhidos nas centenas de unidades móveis e modulares do CIES Global e cerca de 600 profissionais de Saúde e Administrativos engajados com o nosso DNA do Amor.

Equipe CIES Global”

Fonte: G1

Enem: estudantes fazem prova de matemática e ciências da natureza

Em Pernambuco, os portões dos locais de provas abrem às 11h e fecha ao meio-dia. Já as provas iniciam às 12h30 e o encerramento se dará às 17h30

Estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) fazem neste domingo (11) a segunda etapa de provas em mais de 1,7 mil municípios. Serão aplicadas questões de ciências da natureza e matemática. Para resolvê-las, os candidatos terão cinco horas, 30 minutos a menos do que no domingo passado, dia da primeira fase. Os estudantes devem estar atentos ao horário de verão. Os portões abrem às 12h e fecham às 13h, no horário de Brasília, que segue o horário de verão. As provas começam a ser aplicadas às 13h30. A partir das 13h, os alunos devem estar em sala de aula e serão realizados procedimentos de segurança. O participante não poderá deixar o local de prova antes das duas primeiras horas e só poderá levar o Caderno de Questões para casa caso deixe a sala 30 minutos antes do fim da prova.

Os candidatos deverão ter em mãos um documento válido, oficial e com foto; e guardar no envelope porta-objetos fornecido pelo aplicador o telefone celular e quaisquer outros equipamentos eletrônicos, que deverá ficar desligados. Os inscritos no exame devem levar também caneta de tubo transparente e tinta preta. Lápis, borracha, lapiseira e canetas sem transparência não podem ser usados no dia da prova. O gabarito oficial do Enem 2018 será divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) até 14 de novembro. Já o resultado deverá sair no dia 18 de janeiro de 2019.

Falta de energia
Segundo o Inep, os participantes dos locais de prova que ficaram sem energia elétrica no domingo passado não devem deixar de fazer o Enem hoje (11). Eles terão direito à reaplicação apenas das provas do primeiro dia, em dezembro. Dois locais de prova foram afetados, um em Franca (SP), com 993 participantes; e o outro em Porto Nacional (TO), com 759. O Inep fez contato com essas pessoas pelo e-mail ou SMS cadastrados na Página do Participante, alertando sobre a necessidade de comparecerem.

Enem 2018
O Enem 2018 será aplicado em 1.725 municípios brasileiros, 70 deles de difícil acesso. Ao todo, 5.513.726 estudantes estão inscritos. No último domingo, 4,1 milhões de estudantes fizeram o exame, registrando-se o menor percentual de faltosos desde 2009: 24,9% do total de 5,5 milhões de inscritos. Foram aplicadas provas de linguagem, ciências humanas e redação.

A estrutura para aplicação do Enem envolve 10.718 locais de aplicação, 155.254 salas e mais de meio milhão de colaboradores. Foram impressos 11,5 milhões de provas de 12 cadernos de questões diferentes. Haverá ainda uma videoprova em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ao todo, são quase 600 mil pessoas envolvidas na aplicação do exame. A nota no Enem poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Fonte: FolhaPE