Monthly Archives: abril 2020

Serra Talhada aplica testes rápidos em profissionais de saúde, segurança e pacientes monitorados 

A Secretaria de Saúde de Serra Talhada iniciou a aplicação de testes rápidos para detectar Covid -19, doença causada pelo novo coronavírus. Os testes estão sendo aplicados em profissionais das áreas de saúde e de segurança sintomáticos, familiares domiciliares desses profissionais e pacientes monitorados pelas unidades de saúde.  

Durante live do Gabinete de Crise na noite desta quarta-feira (29/04), a secretária de Saúde, Márcia Conrado, confirmou que o município recebeu até o momento 260 testes enviados pelo Ministério da Saúde. Dos testes adquiridos pela gestão municipal,  660 já chegaram e outros 1.000 devem chegar até o começo da próxima semana.

“Estamos seguindo os requisitos do Ministério da Saúde e aplicando os testes inicialmente nos profissionais da saúde e segurança que apresentarem sintomas suspeitos, bem como em seus familiares. Começamos a aplicar os testes também em pacientes acompanhados pelas unidades básicas de saúde, onde temos em torno de seiscentos pacientes que nesses trinta dias apresentaram sintomas respiratórios e que estão sendo monitorados diariamente”, informou Márcia. Ontem (29/04) foram aplicados dez testes entre pacientes monitorados e todos testaram negativo.

A secretária apresentou ainda o balanço da quarta-feira (29/04) das 05 barreiras sanitárias implantadas na cidade, quando foram abordados 644 veículos e 1.033 pessoas, sendo 06 sintomáticas.

Brasil registra 435 mortes por Covid-19 em 24h; Total chega a 5.901

Foto: AFP

Por: Diario de Pernambuco

De acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (30), o Brasil registrou 435 mortos por Covid-19 nas últimas 24h. Ao todo, o país contabiliza 5.901 óbitos em razão da doença.
Já o número de casos confirmados da doença chegou a 85.380 no total. Nas últimas 24h, foram notificados 7.218 novos casos de Covid-19 em todo o país.
Em Pernambuco, foram registrados 682 casos novos da Covid-19, sendo 326 casos que se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), quando os pacientes foram internados e/ou tiveram quadros mais graves. Outros 356 casos são quadros leves.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Defensorias entram com ação contra a Caixa por causa de filas e aglomerações

Aglomeração na Caixa da Encruzilhada, Zona Norte do Recife. (Foto: Bruna Costa/Esp. DP.)

Por: Diogo Cavalcante

As defensorias públicas de Pernambuco (DPPE) e da União (DPU) entraram uma ação civil pública contra a Caixa Econômica Federal, por causa das longas filas que vem sendo observadas nas agências do banco desde que o auxílio emergencial do governo federal passou a ser pago. Na peça, ajuizada nesta quinta-feira (30), os órgãos manifestam que manter filas desorganizadas “contribuirá decisivamente para o colapso do sistema de saúde” neste período de pandemia do novo coronavírus.
O documento pede que a Caixa cumpra de imediato as seguintes determinações: que seja designado um funcionário para orientar clientes e controlar filas – caso não seja possível, que a organização seja feita por uma pessoa especialmente contratada ou por servidores da União, como o Exército; que seja distribuídas fichas para minimizar aglomerações; garantia de distanciamento mínimo de um metro entre as pessoas; fornecimento de álcool em gel ou água e sabão para quem está na fila; limpeza constante das agências; e reserva de horários de atendimento para idosos e pessoas do grupo de risco.
A ação também pede que sejam criados espaços de atendimento em locais diversos das agências, como o Compaz, para tirar dúvidas sobre o auxílio emergencial; ampliação do horário de atendimento das agências; fornecimento de e-mail ou canal de contato digital para as entidades e os órgãos de saúde e de assistência social que atendem às populações vulneráveis, a fim de que possam encaminhar listas, com nome e CPF, de pessoas com dificuldades de habilitação e de acesso ao benefício.

Aglomerações na frente de agências da Caixa, como a de Rio Doce (foto), se tornaram frequentes. (Foto: Bruna Costa/Esp. DP.)

Por fim, o documento solicita que a Caixa faça campanha publicitária, em todos os tipos de mídias, esclarecendo todas as possibilidades de atendimento, sejam presenciais ou não. A ação é assinada pelos defensores André Carneiro Leão (DPU) e Henrique da Fonte A. Souza (DPPE), e terá efeito em todo o estado de Pernambuco, caso seja deferida.

Segundo o defensor federal André, o banco foi notificado em duas ocasiões. A primeira, pela Defensoria Nacional de Direitos Humanos, em Brasília, que expediu uma recomendação em 15 de abril pedindo melhorias na forma de concessão do auxílio emergencial – como correção das instabilidades dos aplicativos Caixa Auxílio Emergencial e Caixa Tem. A instituição financeira prometeu uma resposta até o dia 27, mas não deu retorno.

Na fila da Caixa de Prazeres, PM chegou a usar spray de pimenta para dissipar tumulto. (Foto: Reprodução/Whatsapp.)

A segunda notificação foi regional, expedida pela DPU à superintendência regional da Caixa em Pernambuco no dia 24. O ofício pedia informações como providências previstas pelo banco em em relação às filas e aglomerações, se seria disponibilizado um funcionário para tirar dúvidas e se seria oferecido produtos de higienização para quem fica na fila. “O prazo, de três dias úteis, venceu na quarta (29) e também não tivemos respostas. Em razão disso, e da continuidade das aglomerações, não tinha outra saída que não fosse recorrer ao judiciário”, diz André Carneiro Leão.

Tumulto
Na manhã desta quinta, a reportagem do Diario verificou mais aglomerações em agências da Caixa, como a do bairro da Encruzilhada, no Recife, e a de Rio Doce, em Olinda. Em nenhum momento as pessoas conseguiam ficar em uma distância mínima. Pelo Whatsapp, a reportagem recebeu imagens de um tumulto na agência de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, e a Polícia Militar (PM) foi chamada para conter a população, chegando a usar spray de pimenta para dissipar.
Em nota, o Sindicato dos Bancários criticou a iniciativa. “Reafirmamos que o apoio solicitado pela entidade ao governo do estado e às prefeituras busca firmar parceria com a PM, no sentido de orientar a população na organização das filas, evitando a aglomeração de pessoas. Não toleramos qualquer forma de violência. Entendemos que diante do agravamento da condição econômica e social das famílias em meio à pandemia, a população necessita receber o auxílio emergencial, e os empregados da Caixa estão empenhados para cumprir este importante papel social”.
A PM esclarece que estava auxiliando “no momento da entrega das fichas de atendimento” na agência e que “Algumas pessoas, que não conseguiram a ficha, interditaram a via, que foi logo liberada pelos policiais”. O comandante do 6º Batalhão recebeu as imagens para análise da ocorrência.
Por fim, a reportagem procurou a representação regional da Caixa para se manifestar sobre o assunto, mas não obtivemos retorno até a publicação desta reportagem.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Plano de socorro a estados do Senado prevê repasse de R$ 60 bi a governadores e prefeitos

Foto: Leopoldo Silvao/Agência Senado

Por: FolhaPress

Um relatório a ser apresentado nesta quinta (30) pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para a ajuda federal a estados e municípios durante a crise do novo coronavírus prevê o repasse de R$ 60 bilhões em quatro prestações.
Pela proposta, a que a reportagem teve acesso, R$ 25 bilhões serão encaminhados aos estados e R$ 25 bilhões aos municípios.
A divisão da verba proposta para os estados será feita de acordo com um coeficiente que mesclará critérios como variação na arrecadação de ICMS, população, fatia no FPE (Fundo de Participação dos Estados) e Lei Kandir.
Já a distribuição entre os municípios será de acordo com a população, o que deverá fazer com que mais dinheiro chegue às capitais e grandes cidades.
O texto prevê ainda que R$ 10 bilhões sejam repassados diretamente para o combate ao novo coronavírus, dos quais R$ 7 bilhões para estados e R$ 3 bilhões para os municípios.
Na verba para a saúde, o dinheiro que seguirá para os estados deverá obedecer prioritariamente a incidência de casos (60%) e o restante seguirá o tamanho da população.
Já no caso dos municípios, o dinheiro será dividido de acordo com a população apenas.
O texto de Alcolumbre deverá ser levado a votação neste sábado (2) e, se aprovado como está, terá que retornar à Câmara, uma vez que altera os critérios de distribuição definidos pelos deputados.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Patriota cobra da Caixa e Banco do Brasil soluções para filas em bancos e agentes pagadores

Blog do magnoO Prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, vem conversando nos últimos dias com as superintendências da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil a respeito de soluções urgentes para diminuir os transtornos causados pela aglomeração e filas na agência da caixa, lotérica e agentes pagadores em Afogados da Ingazeira.

Em situação normal já seria complicado uma vez que esta semana a Prefeitura está realizando o pagamento dos seus servidores, além do calendário tradicional de pagamento do bolsa-família. Com a liberação da primeira parcela do auxílio emergencial, a situação tornou-se bastante complicada tendo em vista a necessidade da adoção das medidas de distanciamento social.

“Além de todos esses problemas, identificamos desabastecimento de numerário nas lotéricas e agências pagadoras. E não só em Tabira, mas também em muitas cidades da Paraíba próximas a nossa região. O Banco do Brasil não vem fazendo esse abastecimento de forma a atender às necessidades da população de cada cidade, o que tem feito que nos últimos dias, pessoas oriundas de Tabira, Jurú, Princesa, Imaculada e Água Branca tenham acorrido para Afogados em busca de atendimento,” informou Patriota. Nessas cidades não há agência da caixa, apenas lotéricas. A agência da caixa na Paraíba, mais próxima, fica em Patos. Portanto, para eles, é mais rápido e próximo vir para Caixa de Afogados.

Patriota, enquanto Presidente da AMUPE tem bom trânsito e diálogo com as superintendências em questão. Se as lotéricas passarem a ser abastecidas com numerário suficiente, a população dessas cidades não vai mais precisar vir para Afogados. “Estou conversando também com os amigos Prefeitos das cidades Paraibanas, o Ministério Público também está ajudando nessa busca de soluções, para que possamos reduzir o impacto e os problemas provocados por essas grandes aglomerações,” avaliou Patriota.

A estimativa de despesa logística de um carro-forte gira em torno de 20 mil Reais, o que faz com que, para diminuir gastos, haja uma diminuição da quantidade de carros-fortes necessária para abastecer as lotéricas, deixando-as, em muitos casos, sem condições de pagar o auxílio-emergencial adequadamente.

Bolsonaro chama de ‘política’ decisão do Supremo que barrou Ramagem na PF

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Por: Estado de Minas

O presidente Jair Bolsonaro desafiou, nesta quinta-feira (30), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, a decidir se Alexandre Ramagem pode ou não continuar no comando da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Do contrário, afirmou o presidente, irá nomear o seu ex-chefe de segurança pessoal, diretor-geral da Polícia Federal.
Bolsonaro disse que ficou ”chataeado” por ter decretado a volta do seu indicado para comandar a PF depois de ser desautorizado por decisão monocrática de  Alexandre de Moraes. “Se não pode ficar na PF, não pode ficar na Abin também”, reclamou o presidente.  Para Bolsonaro, a decisão do ministro do STF ” foi uma decisão política”.
Ele lembrou que, nessa quarta-feira (29), ao dar posse ao novo ministro da Justiça, André Mendonça, começou o discurso falando Constituição Federal. “Eu respieto a Consituição e Tudo tem umlimite. E estamosdiscutindo um novo nome (para diretor da Polícia Federal)”, disse o presidente.
Moraes concedeu a liminar justificando a relação de amizade  de Ramageme o clã Bolsonaro. O presidente disse que conheceu Rmagem logo após a eleição, em 2018, quando ramagem foi designado pela Polícia Federal chefe de sua segurança pessoal.
“Eu o conhecei com essa profundidade. Construí com ele uma relação de confiança”, diise o presidente para justificar os motivos que o levaram a nomear  Ramagem para o comando da PF.
Crise Institucional
“Agora, tirar numa canetada, desautorizar o presidente da República, dizendo impessoalidade (argumentação da liminar de Moraes). Ontem (nessa quinta-feira), quase tivemos uma crise instutiocional”, disse Bolsonaro.
Questionado sobre a possível crise institucional, Bolsonaro disse que não entraria em detalhes. “Eu não engoli ainda essa decisão do senhor Alexandre de Moraes. Não engoli. Não é essa a forma de tratar um chefe do Executivo, que não tem uma acusação de corrupção e faz tudo possível pelo seu país”, declarou.
O presidente afirmou que a Advocacia-Geral da União (AGU) irá recorrer da decisão liminar de Moraes, mas que o governo estuda outros nomes para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal.
“Eu pretendo o mais rápido possível, né, sem atropelo, indicar o diretor-geral, que é competência minha indicar. Quero o mais rápido possível dar tranquilidade para a Polícia Federal trabalhar”. Bolsonaro fez essas afirmações na saída do Palácio da Alvorada, antes de embarcar para Porto Alegre.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Mais de 46,2 milhões de pessoas já receberam o auxílio emergencial

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Por: Agência Brasil

Mais de 46,2 milhões de brasileiros já tiveram a primeira parcela de R$ 600 do Auxílio Emergencial creditada em suas contas, o que representa a liberação pelo governo federal de R$ 32,8 bilhões, segundo o Ministério da Cidadania. O total de contemplados supera a população de países como o Canadá (37,5 milhões de habitantes), e a Argentina (44,5 milhões).
O aplicativo criado pela Caixa teve 67,5 milhões de downloads e permitiu 49,2 milhões de cadastros. A Central de Atendimento 111, para tirar dúvidas das pessoas, recebeu mais de 98,6 milhões de ligações. Os números foram atualizados pela Caixa Econômica Federal no fim da tarde dessa quarta-feira (29).
A estimativa do ministério é de que até 70 milhões de brasileiros recebam os recursos. “Já superamos 45 milhões de brasileiros contemplados, isso contando 14,2 milhões ligados ao Programa Bolsa Família, outros milhões do Cadastro Único Federal (que não são do Bolsa Família) e já estamos virando a casa dos 15 milhões via aplicativo”, disse o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.
O auxílio emergencial contempla integrantes do Bolsa Família e pessoas inscritas em outros programas que constam do Cadastro Único do Governo Federal, além de microempreendedores individuais, autônomos e contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que se encaixam nos critérios da lei.
Os beneficiários do Bolsa Família elegíveis recebem o crédito no mesmo calendário e na mesma forma do benefício regular.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Socorro a estados e municípios deve começar a ser discutido hoje no Senado

Foto: Leopoldo Silvao/Agência Senado

Por: Correio Braziliense

Projeto que divide opiniões entre parlamentares e governo, o socorro a estados e municípios durante a pandemia do novo coronavírus, via transferência direta de dinheiro da União, deve começar a ser debatido pelos senadores. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), relator da matéria, se comprometeu a apresentar o texto hoje, com a intenção de colocá-lo em votação neste sábado.
Parte do impacto dos repasses, calculado em até R$ 130 bilhões,  deve ser compensada por medidas como o congelamento de reajustes para servidores públicos por 18 meses. “Esse dinheiro não pode virar aumento de salário”, defendeu ontem o ministro da Economia, Paulo Guedes, em videoconferência promovida pelo setor varejista. Para ele, a destinação não seria adequada, enquanto milhões de brasileiros perdem empregos.
Após conversas com integrantes do governo, Alcolumbre se dispôs a colocar a contrapartida no texto. O congelamento deverá ser garantido por estados, municípios e Distrito Federal, em troca da transferência direta de recursos, destinado a serviços que “precisam ser mantidos durante a pandemia”, explicou Guedes. “Merenda escolar, saneamento, transporte público”, listou. Como será reformulado pelo Senado, o projeto precisará voltar para avaliação dos deputados.
Se Alcolumbre mantiver o cronograma apresentado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), poderá pautar a matéria na segunda-feira. A mudança proposta, na visão dele, é “um gesto simbólico”, sem muito efeito prático. No cenário atual, “é claro que ninguém daria aumento” disse, ontem, em coletiva de imprensa. Ainda assim, Maia considera importante “uma solução o mais rápido possível”, diante da queda na arrecadação de tributos, que, em alguns estados, pode chegar a 30% em abril, apontou. Para maio, segundo ele, a previsão é de 40%.
Valor fixo
O texto aprovado pela Câmara era mais generoso nesse ponto e previa a liberação do valor correspondente ao que os entes deixarem de recolher de ICMS e ISS nos próximos três meses. Guedes argumentou que vincular o montante à queda da receita seria assinar um cheque em branco para governadores e prefeitos, já que não há como calcular os valores com precisão.
Se a arrecadação cair 30%, o custo seria de R$ 89,6 bilhões, pelos cálculos de técnicos da Câmara. Mas as perdas podem ser maiores ou menores. Por isso, o ministério da Economia sugeriu outro tipo de repasse, com valor fixo. A proposta inicial era algo em torno de R$ 40 bilhões. Agora, a ideia é liberar R$ 50 bilhões. O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, já admitiu, porém, que pode ultrapassar R$ 55 bilhões.
Pela proposta que deve ser apresentada hoje, servidores do setor de saúde, como médicos e enfermeiros, não serão afetados e, portanto, poderão ter aumentos. Profissionais da segurança pública também podem entrar na lista de exceções.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Petrolina: Benefício emergencial: saiba quando procurar o Centro de Convenções 

Nos últimos dias, várias pessoas têm ido às unidades da Caixa Econômica Federal (CEF) e ao Centro de Convenções para tirar dúvidas sobre o benefício emergencial concedido pelo Governo Federal. A Prefeitura de Petrolina, em parceria com a Caixa, estão atendendo também no Centro de Convenções, exclusivamente, para informações acerca do benefício temporário.

O auxílio financeiro é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados de famílias em situação de vulnerabilidade, durante o enfrentamento da pandemia da COVID-19 (coronavírus).

Quando procurar o Centro de Convenções:

Funcionando das 8h às 12h,  a central existe para uso exclusivo do atendimento às dúvidas sobre o cadastramento ao auxílio emergencial nos aplicativos Caixa Auxilio Emergencial e Caixa TEM. Para ser atendido, a pessoa deve levar documento pessoal com foto e xerox da documentação.

Mas atenção, no Centro de Convenções, não são feitos os atendimentos de solicitações ou troca de senha, desbloqueio de benefício e  demais atendimentos da Caixa Econômica Federal.

Saque da poupança digital:

Para àqueles que o benefício já está aprovado na poupança fácil sem cartão, deve prestar atenção nos dias de saque, de acordo com o mês de nascimento.  Para quem nasceu em janeiro, fevereiro, março, abril, maio e junho o dinheiro já está liberado. A partir de 30 de abril, para os nascidos em julho e agosto; a partir de segunda (04)  os nativos de setembro e outubro e na terça (05) para quem nasceu em novembro e dezembro. A retirada é feita através dos canais de autoatendimento e lotéricas. Outras dúvidas também podem ser tiradas através do site da CEF http://www.caixa.gov.br/auxilio/PAGINAS/DEFAULT2.ASPX

Morre o professor Júlio Correia, ex-reitor da Universidade de Pernambuco

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

Júlio Correia foi o primeiro reitor da UPE – FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK

Por: JC

O professor Júlio Fernando Pessoa Correia, primeiro reitor da Universidade de Pernambuco (UPE) e pai do secretário de Desenvolvimento Urbano de Pernambuco, Marcelo Bruto, morreu nesta quarta-feira (29), aos 76 anos. Em razão do falecimento, a instituição de ensino decretou luto oficial de três dias. O governador do Estado, Paulo Câmara (PSB), também lamentou a perda.

Júlio Correia estava internado no Real Hospital Português, na área central do Recife. A causa da morte não foi divulgada. O sepultamento está marcado para quinta-feira (30), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, Região Metropolitana do Recife (RMR).

Leia a nota de pesar da UPE

A comunidade acadêmica da Universidade de Pernambuco (UPE) externa seu mais profundo pesar e lamenta o falecimento do ex-reitor e ex-professor da instituição, Júlio Fernando Pessoa Correia, 76 anos, ocorrido hoje (29/04/20).

A Universidade destaca e agradece a dedicação do professor que foi diretor da Faculdade de Administração e Direito da Universidade (Fcap), o último reitor Pró-Tempore da antiga FESP e o primeiro reitor da Universidade de Pernambuco, quando da sua criação em 1991. Também foi durante sua gestão como reitor que foram criadas as Escola de Aplicação da UPE no interior.

Na oportunidade, o reitor da UPE, Prof. Pedro Falcão, decreta luto oficial de três dias e expressa as mais sinceras condolências e deseja, ainda, conforto, paz, e muita força para a família, os amigos e colegas de profissão enfrentarem a perda.

O sepultamento do ex-reitor será realizado amanhã (30/04), no Cemitério Morada da Paz.

Leia a nota de pesar do governador Paulo Câmara

Foi com profunda tristeza que recebi a notícia do falecimento do professor Júlio Correia. Acadêmico proeminente, foi o primeiro reitor da Universidade de Pernambuco, quando da sua fundação, em 1991, e criador das Escolas de Aplicação da UPE no interior. Também deu imensa contribuição como diretor da Faculdade de Administração e Direito da instituição. Quero externar meus sentimentos aos seus familiares, especialmente ao seu filho, o secretário de Desenvolvimento Urbano Marcelo Bruto, aos amigos e à toda comunidade acadêmica.

Paulo Câmara
Governador de Pernambuco