EMA estima que coágulos devem ser considerados efeitos colaterais raros da vacina AstraZeneca

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) estimou nesta quarta-feira (7) que os coágulos sanguíneos sofridos por pessoas vacinadas com o imunizante anticovid da AstraZeneca devem ser considerados um efeito colateral “muito raro” do medicamento.
A EMA estabeleceu “uma possível ligação com casos muito raros de coágulos sanguíneos incomuns, juntamente com níveis baixos de plaquetas sanguíneas”, pelo que considera que o balanço entre riscos e benefícios permanece “positivo”, de acordo com um comunicado.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.