Zulene Alves

Amupe e autoridades de saúde municipais defendem ampliação da testagem para controle do coronavírus

A Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e secretários de saúde municipais de Pernambuco, são unânimes à defesa da ampliação da testagem da população para ter controle e, consequentemente, combater de maneira mais incisiva a proliferação do coronavírus no Estado. A medida é defendida publicamente por importantes organizações sanitárias mundiais, a exemplo da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A testagem nos municípios se intensificou após a Amupe firmar um convênio com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com 106 municípios, que está gerando 9 mil testes do tipo RT-PCR, “padrão ouro”, segundo a OMS. Testar mais é quebrar a cadeia de transmissão do coronavírus.

“O convênio da Amupe com a UFPE foi um ponto importantíssimo para testarmos mais, principalmente no interior. É através da testagem que detectamos os casos positivos, isolamos as pessoas que tiveram contato com o vírus e quebramos a cadeia de transmissão da doença”, comentou o secretário municipal de saúde de Afogados da Ingazeira, no Sertão, Artur Amorim.

No Agreste, o secretário de Saúde de Caruaru, Francisco Santos destacou que a saúde pública funciona a partir do diagnóstico. Para ele “sempre que nós temos um diagnóstico adequado, o tratamento também é adequado. No caso da covid, se a gente não sabe onde estão os casos, não temos como fazer uma ação incisiva para combater o problema”.

Desde o começo da pandemia causada pelo coronavírus, a Amupe tem orientado todos os municípios pernambucanos a tomarem medidas necessárias desde do ponto de vista legal, como a ampliação da testagem da população, a distribuição de Equipamento de Proteção Individual (EPI) e orientações constantes. “Reforçamos ainda mais essa necessidade, lutamos e conseguimos mais e testes ainda por cima mais baratos com a UFPE. Juntos, e com ações integradas, nós vamos avançando e enfrentando o coronavírus para que a vida possa vencer,” concluiu o presidente da Amupe, José Patriota.

Prefeitura de Sertânia implanta Centro de Atendimento para Tratamento da Covid-19

A Prefeitura de Sertânia implantou um Centro de Atendimento para tratamento da Covid-19. O local pode receber pacientes com sintomas leves de síndrome gripal, causada ou não pelo novo coronavírus. A proposta é reduzir a circulação dessas pessoas em outros serviços de saúde, como as UBSFs.

A criação do Centro de Atendimento para enfrentamento da Covid-19 é regulamentada pela portaria do MS nº 1.445, de 29 de maio de 2020. Para implantar essa estrutura de combate ao novo coronavírus, Sertânia solicitou credenciamento junto ao Ministério da Saúde. O município precisou cumprir diversos requisitos e foi o primeiro da região do sertão do Moxotó a conseguir a liberação. O espaço que contará com médico, enfermeiro e técnico em enfermagem será mantido com recursos federais e municipais.

A estrutura temporária foi montada na nova Unidade Básica de Saúde do bairro Treze de Maio, próxima ao CSU. No local há consultório médico, consultório de enfermagem, sala de acolhimento, duas salas de repouso, três salas de observação e uma sala de coleta para testes rápidos. Após avaliação clínica, o paciente poderá ser liberado, encaminhado para tratamento e monitoramento domiciliar e, caso precise de internamento, será transferido para o Hospital Municipal Maria Alice Gomes Lafayette.

A Secretaria de Saúde já definiu todas as estratégias para operacionalização do lugar, como levantamento de recursos humanos, equipamentos médicos, insumos e uma pequena farmácia de medicamentos injetáveis foi montada, dentre outras necessidades. O funcionamento do Centro de Atendimento para Tratamento da Covid-19 será de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. O local começou a atender nesta segunda-feira (13).

Desde o início da pandemia da Covid-19, antes mesmo do município registrar casos, a Prefeitura de Sertânia criou um comitê para adotar medidas de combate à disseminação do vírus e desde então a gestão não vem medindo esforços para diminuir a proliferação da doença e amenizar as consequências da situação.

Entre as ações está o trabalho diário de desinfecção pública; instalação de lavatórios em pontos com grande circulação de pessoas; distribuição de máscaras; criação de barreiras sanitárias; fechamento de várias vias de acesso à cidade; aquisição de equipamentos para a saúde; compra de EPIs para profissionais da área; compra de ambulâncias; treinamento de profissionais da saúde; pagamento de gratificação temporária aos profissionais que exercem atividades presenciais de apoio, enfrentamento e prevenção da Covid-19; distribuição de kit alimentação para alunos das escolas municipais; seleção para contratação, temporária e emergencial, de profissionais que atuam nos serviços de combate à pandemia da Covid-19, entre outras providências.

“Garantir a saúde dos sertanienses é nossa prioridade, desde o primeiro momento, trabalhamos preventivamente para controlar o avanço da pandemia. Agora montamos o Centro de Atendimento para enfrentamento da Covid-19, dotado de equipamentos e com profissionais treinados para atender nosso povo, caso necessite. Lembramos que só venceremos a Covid-19 se estivermos unidos, por isso pedimos à população que colabore, mantendo o distanciamento e isolamento social, evitando aglomerações e usando sempre a máscara, caso tenham que sair”, ressaltou o prefeito Ângelo Ferreira.

Vale lembrar que alguns dos sintomas da Covid-19 são tosse, febre, dor de cabeça, dificuldade de respiração e falta de paladar e olfato.

Ação conjunta distribui 72 toneladas de alimentos em 500 comunidades

Uma operação que reuniu voluntários, militantes e servidores distribuiu, neste domingo (dia 12), 72 toneladas em alimentos para cerca de 500 comunidades no Grande Recife. Os alimentos foram uma doação da empresa JBS, articulada pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas. Os alimentos compartilhados em 4 mil cestas básicas tiveram como destino famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica, agravada com os efeitos que a pandemia provocou. A população das comunidades beneficiadas são todas da Região Metropolitana do Recife.

A ação de distribuição do Pernambuco Solidário contou com apoio dos líderes comunitários e mobilizadores sociais da Central Única das Favelas em Pernambuco (Cufa-PE), voluntários do Transforma Recife, Transforma Brasil, Novo Jeito e Porto Social e articulação da Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas. O secretário Cloves Benevides considerou a ação necessária em razão dos diferentes repercussões sociais, sanitárias e econômicas, causadas pela disseminação do sar-cov-2. “As pessoas precisam de solidariedade todos os dias e a solidariedade deve estar em todos os lugares”, resumiu.

A Cufa-PE esteve na linha de frente para que as doações chegassem às mãos de 4 mil famílias, moradoras das comunidades carentes do Grande Recife. A presidente da Cufa-PE, Altamiza Melo, disse que o trabalho era uma forma de apoiar as cerca de 500 favelas organizadas com os líderes da central. Voluntários, militantes, líderes e mobilizadores sociais da Cufa participaram da distribuição, de porta em porta, levando as cestas básicas.

O diretor do Porto Social, Fábio Silva, esteve junto com os voluntários, que utilizaram o domingo para terem a chance de alcançar um maior número de famílias, em suas casas. “Essa ação permitiu que muitas famílias vulneráveis tivessem alimento em casa”, disse.

Cada uma das 4 mil cestas básicas doadas pela JBS é composta por 5 kg de arroz; 1 kg feijão carioca; 1 kg feijão preto; 500 g macarrão espaguete; 500 g macarrão parafuso; 2 latas de sardinha (84g x2); 1 litro de óleo de soja; 340 g molho de tomate; 1,5 kg de fubá mimoso; 1 kg de sal; 800 g de leite em pó; 2 kg de farinha de trigo; 2 kg de açúcar refinado; e 300 g de biscoito doce.

IPA intensifica combate à praga da mandioca no Araripe

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) intensifica visitas às áreas de plantio de mandioca atingidas pela Antracnose, na Região do Araripe. Aliado a isso, a equipe técnica do IPA também começará a distribuir material orientativo e elabora treinamentos para os produtores.

Segundo o presidente do IPA, Reginaldo Alves de Souza, essa ação será uma prioridade no Sertão do Araripe pela importância social, econômica e ambiental da cultura da mandioca. “A equipe de Extensão Rural do IPA, que atua no Araripe, definiu o cultivo da mandioca como sendo uma das cadeias produtivas prioritárias da região e haverá um planejamento específico para atuação da assistência técnica nos municípios onde esta atividade é mais expressiva”, afirmou ele.

Uma das visitas foi realizada, na quinta-feira (10), pelo supervisor da Estação Experimental de Araripina, José Tavares. Ele observou uma brotação vigorosa das plantas afetadas. “O principal método de controle para a Antracnose é a utilização de variedades resistentes ou, na falta delas, uma poda de limpeza e a queima do material podado”, explica o diretor de Pesquisa do IPA, Gabriel Maciel.

Outra iniciativa em andamento é um trabalho, em Cooperação com a Universidade de Brasília, a fim de introduzir novas variedades para multiplicação na Estação Experimental de Itapirema, na Mata Norte. Essas cultivares deverão ser testadas na Estação Experimental do IPA, na Chapada do Araripe, em 2021.

Para Gabriel, o primeiro semestre de 2020 foi caracterizado por um período de chuvas bem acima da média histórica da região do Araripe. Período longo de chuvas associado com temperaturas amenas e com alta umidade relativa do ar. “Essas características são ideais para a disseminação da Antracnose, uma doença causada por um fungo. Ele ataca toda a planta, mas é mais severa nas hastes e nas folhas, reduzindo significativamente a produção de raízes e amido”, explica ele.

Estatais são destaques em avaliação realizada pela Controladoria do Estado

O desempenho de quatro empresas estatais pernambucanas ganhou destaque em avaliação realizada pela Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE). A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), Complexo Industriário Portuário Governador Eraldo Gueiros (Suape) e Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Ad Diper) foram as primeiras colocadas no Índice de Adequação das Estatais (IAE), criado para monitorar a performance dessas entidades dentro das obrigatoriedades apresentadas na Lei nº 13.303/2016  (Lei das Estatais) e no Decreto Estadual nº 43.984/2016.
 
No exercício de 2019, último período avaliado pelo IAE, Compesa e Cepe alcançaram 100% da meta estabelecida (90%), Suape conseguiu atingir 97% e Ad Diper ficou com 96%. Nessa avaliação, as empresas apresentaram um crescimento de 18%, 46%, 45% e 42%, respectivamente. A média de atendimento das 15 estatais pernambucanas foi calculada em 81%, o que representa um crescimento de 30% desde o início da apuração pela SCGE, em junho de 2019.
 
Para chegar a essa classificação, o índice criado pela Diretoria de Monitoramento, Avaliação e Controle (DMAC/SCGE) avalia 29 pontos de controle para as estatais de grande porte e 25 para as de pequeno porte. Além da adequação à legislação vigente, também são analisadas as melhores práticas de governança corporativa. “Como resultado desse trabalho junto às estatais, esperamos fomentar o controle social e a transparência, além de contribuir para a melhoria do desempenho das políticas públicas. E, dentro dos processos internos de cada empresa avaliada, a proposta é promover e aperfeiçoar o modelo de governança”, avaliou a secretária Érika Lacet.
 
Em continuidade ao trabalho de orientação das estatais, que vem sendo realizado de forma remota em virtude da pandemia e das medidas de isolamento social indicadas pelo Governo do Estado, a SCGE realizará reuniões técnicas virtuais no período de 15 a 28 de julho, quando será apresentado o “Índice de Adequação das Estatais (IAE) 2020 – Pontos de Controle e Monitoramento SCGE”.  “Nesses encontros iremos divulgar a nova estruturação do IAE e o cronograma de monitoramento da Controladoria junto às empresas para o exercício de 2020”, adiantou a diretora de Monitoramento, Avaliação e Controle (DMAC/SCGE), Elisângela Lôbo. 
 
ATRIBUIÇÃO – Avaliar, monitorar e apoiar a gestão das empresas públicas e sociedades de economia mista estaduais, a partir da incorporação de boas práticas de eficiência, transparência e controle referente aos mecanismos de governança, fazem parte das atribuições da SCGE. “As estatais são importantes entidades que apoiam o Estado na ativação de receitas e no desenvolvimento de políticas públicas essenciais. Nessa perspectiva, nosso papel é estratégico, por que realizamos ações parecidas com as de uma consultoria, dando os subsídios necessários para que as empresas preencham os requisitos legais a nível estadual e nacional”, concluiu Érika Lacet.

MP no Pajeú vai se debruçar sobre dados de testagem, diz promotor

O Promotor e Coordenador da 3ª Circunscrição do MP no Pajeú, Lúcio Luiz de Almeida Neto, disse ao programa Manhã Total, da Rádio Pajeú, que o levantamento feito sobre os municípios que tem testado mais e manos na região. O MP tem defendido uma testagem ainda maior  da população.

“Vamos levar esse levantamento para o grupo de monitoramento dos promotores do Pajeú. É um dado importante para que possa haver fiscalização daqueles municípios que tem testado menos. Quanto maior testagem, mais controle e possibilidade de quebrar a cadeia de transmissão do vírus”, disse.

De acordo com o levantamento realizado pelo Blog do Nill Júnior, a cidade que mais testa no Pajeú  é Serra Talhada,  que chegou à 4,87% da população.  Foram 4.205 testes. Considerando a população de 86.350 habitantes,  chegamos a esse percentual.

Fecham o “top 5” Solidão (4,08%), Afogados da Ingazeira (2,84%), Carnaíba (2,63%) e Triunfo, com 2,25%. Em sexto, Tabira, com 2,04%, seguida de Iguaracy (1,75%), São José do Egito (1,58%), Brejinho (1,55%) e Calumbi, com 1,37% fechando o ranking das dez.

Por fim, Ingazeira na posição 11 com 1,1%, Quixaba (12) com 1,07%, Flores (13) com 0,93%, Tuparetama (14) com 0,85%, Itapetim (15) com 0,72%, Santa Terezinha (16) com 0,36% e Santa Cruz da Baixa Verde (17), com 0,25%. A média de testagem na região considerando 332.581 habitantes e 8.471 testes é de 2,55%.

O Blog do Nill Júnior,  buscou mais duas cidades importantes do Sertão sobre as quais recaem suspeitas de subnotificação.  Em Salgueiro, a se considerar a média, tem testagem intermediária,  com 2,17% da população até agora. Arcoverde tem três vezes menor testagem que Serra Talhada: 1,4%. Poderia ser bem mais. Sertânia, colada na Terra do Cardeal testa mais: 1,8%.

BARREIRAS SANITÁRIAS: MAIS DE 151 MIL PESSOAS ORIENTADAS E 84 MIL VEÍCULOS ABORDADOS

A Prefeitura de Serra Talhada, através da Secretaria de Saúde, apresentou nesta segunda-feira (13), o balanço das intervenções realizadas nas barreiras sanitárias criadas no município para conter o avanço do novo coronavírus.

Somente na semana passada foram 8.262 veículos abordados e 15.558 pessoas orientadas, sendo duas pessoas identificadas com sintomas suspeitos e encaminhadas ao serviço de saúde. No geral, desde que foram implantadas em pontos estratégicos da cidade, as barreiras sanitárias abordaram 84.404 veículos e orientaram 151.982 pessoas acerca da Covid-19, sendo identificadas 102 pessoas sintomas suspeitos. Os dados são referentes até o último sábado (11/07).

“As pessoas sintomáticas abordadas nas barreiras sanitárias são orientadas a procurar as unidades de saúde e depois permanecer em isolamento domiciliar, entrando em nosso sistema de monitoramento e acompanhamento. Caso a pessoa apresente sintomas graves, a gente direciona imediatamente aos serviços de urgência”, explicou a secretária-executiva de Saúde, Alexsandra Novaes.

PREFEITURA DE AFOGADOS INSTALA CANCELAS NAS BARREIRAS SANITÁRIAS

 Para disciplinar melhor o tráfego e impedir que veículos eventualmente “furem” o bloqueio, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira instalou neste final de semana uma cancela de controle de tráfego na barreira sanitária que fica próximo ao trevo das saídas para Carnaíba e Tabira, e da entrada de Afogados, para quem vem sentido Recife.

Além da cancela, a Prefeitura também está colando adesivos nos veículos para um melhor controle e identificação dos mesmos: verde para quem reside no município, amarelo para quem vem de outra cidade e vermelho para quem se desloca de outro Estado da Federação.

Desde sua instalação, há dois meses e meio atrás, as barreiras sanitárias de Afogados da Ingazeira já realizaram mais de 55 mil abordagens. Motoristas e passageiros oriundos de outras cidades\estados, ou que apresentem febre ou síndrome gripal, tem seus nomes e endereços anotados e repassados para a vigilância em saúde e a atenção básica, que se encarregam do monitoramento do isolamento domiciliar deles.

7.120 veículos já receberam adesivos de identificação, sendo 4.800 com o adesivo verde, dois mil com o amarelo e 320 com o vermelho.

“As barreiras sanitárias tem um papel fundamental na prevenção da pandemia. Com os dados obtidos por elas, nós podemos identificar casos e isolar pacientes e seus contatos, além de garantir um melhor controle do monitoramento do isolamento domiciliar dessas pessoas,” avaliou o Secretário Municipal de Saúde, Artur Amorim.

Segundo Artur, o trabalho das barreiras e do monitoramento do isolamento domiciliar, aliado ao aumento na testagem da população, tem feito com que a Prefeitura tenha hoje uma radiografia da pandemia bem mais próxima da real em Afogados da Ingazeira.