zulenealves

Ministério da Educação realiza novo bloqueio no orçamento da UFPE

Universidade não terá verba para funcionar até fim do ano caso o bloqueio não seja retirado

UFPE

UFPE Foto: Divulgação

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) anunciou que vai começar a implementar medidas de suspensão de atividades após o Ministério da Educação (MEC) ter bloqueado novamente 30% das verbas das instituições federais de ensino. O orçamento, que soma R$ 50 milhões, chegou a ser liberado no dia 11 de junho, voltando a ser bloqueado após o Governo Federal ter obtido decisão favorável na Justiça. A percentagem restante não será suficiente para a continuação das atividades da instituição até o final deste ano, segundo o pró-reitor de Planejamento, Orçamento e Finanças (Proplan), Thiago Galvão.
“Estamos mantendo o mínimo, como limpeza e segurança, para que a universidade funcione. Vamos aguardar para ver se eles desbloqueiam o dinheiro. Estamos começando novos ajustes de funcionamento, mesmo assim, ainda não será suficiente até dezembro”, explica o pró-reitor. Segundo ele, falta a UFPE receber R$ 85,6 milhões de um total de R$ 162,6 milhões para custeio e assistência estudantil, previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA). Dessa quantia a ser repassada, a universidade possui apenas R$ 16 milhões disponíveis para as despesas de manutenção de julho a dezembro.

Em nota, a universidade ressaltou que orçamento bloqueado não fica disponível para empenho. Isso significa que não pode ser reservado para contratação de bens e serviços. Em relação aos recursos para investimento, usado na aquisição de equipamentos e obras, a UFPE recebeu apenas R$ 610 mil dos R$ 10 milhões constantes na LOA. Metade desta quantia também encontra-se bloqueada pelo MEC.

O pró-reitor da Proplan afirma que a universidade está tentando negociar com o Ministério da Educação. Enquanto não houver uma nova liberação, as atividades que estavam previstas para iniciar não poderão seguir sem a segurança do orçamento. “Estamos falando de pesquisas de extensão, editais das pró-reitorias, de manutenção, reformas, publicações, e o repasse de parcelas do Modaloc (Modelo de Alocação de Recursos). O prejuízo acadêmico é imenso sem essas atividades.”

Mutirão de cirurgia de catarata atende mais de 2,7 mil pacientes em Pernambuco

Responsável por quase metade dos casos de cegueira no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde, a catarata só tem uma opção de tratamento: a cirurgia, que é capaz de recuperar a capacidade visual. O procedimento será oferecido gratuitamente este mês a 2.750 pacientes pernambucanos, cuja expectativa é evitar que o problema evolua para a perda total da visão. A iniciativa, da Secretaria Estadual de Saúde (SES), desponta num momento em que Pernambuco precisa ampliar a assistência oftalmológica. “Com o mutirão, sinalizamos o início da descentralização nos atendimentos, principalmente os de urgência (hoje concentrados na capital). Até o fim do ano, teremos uma ou mais UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), no Grande Recife, que oferecerão o serviço oftalmológico de emergência”, garante o secretário estadual de Saúde, André Longo. Ele acrescenta que a proposta é fazer da UPA uma unidade de portas abertas – ou seja, que não exija necessidade de marcação nem encaminhamento de unidades básicas, desde que se trate de atendimento de emergência. “Essa medida vai ampliar a oferta assistencial e também diminuirá a sobrecarga da Fundação Altino Ventura, que hoje é o único serviço (da rede pública) de procura espontânea pela população no Estado”, aposta o secretário.  No Recife, durante o mutirão de cirurgias de catarata deste mês, além da Fundação Altino Ventura (FAV), os procedimentos serão realizados no Serviço Oftalmológico de Pernambuco (Seope), no Hospital de Olhos Santa Luzia, no Instituto de Olhos do Recife (IOR) e no Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). No último sábado (29), 105 pacientes foram atendidos neste sábado para exames pré-operatórios: realizaram biometria, microscopia e ultrassonografia ocular. A primeira cirurgia será realizada no próximo dia 6 de julho. As marcações são feitas pelos serviços onde os pacientes já realizam tratamento oftalmológico.   Além da participação das cinco unidades na capital pernambucana, outros três serviços no interior recebem a mobilização. No Agreste, as cirurgias serão feitas nas Unidades Pernambucanas de Atenção Especializada (UPAEs) de Garanhuns e Caruaru; no Sertão, na UPAE de Petrolina. Nessas cidades, as Regionais de Saúde (Geres) atuam em parceria com a gestão municipal para garantir o encaminhamento dos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) às unidades. “O objetivo do mutirão é ampliar a oferta da cirurgia de catarata, já disponível na rede, além de dar celeridade aos casos mais graves, de acordo com a classificação de risco. Vamos garantir que a cirurgia seja feita no menor tempo possível”, afirma André Longo.

Cirurgia

Segura, rápida e eficaz, a cirurgia consiste na retirada do cristalino opaco (lente natural que dá o foco visual) e colocação de uma lente intraocular, capaz de recuperar a visão. O procedimento, considerado de baixa complexidade, é feito com anestesia local e sem a necessidade de internação. O índice de recuperação é satisfatório e, em 90% dos casos, o paciente volta a enxergar normalmente. No ano passado, mais de 20 mil cirurgias de catarata foram realizadas no Estado, pelo SUS. Entre elas, 9,6 mil foram feitas em unidades ligadas à rede estadual. As UPAEs de Caruaru, Garanhuns e Petrolina realizaram, apenas em 2018, 3.300 cirurgias oftalmológicas no tratamento de doenças oculares. Entre os principais sintomas da catarata, destacam-se a sensação de visão embaçada, a alteração contínua do grau dos óculos, a maior sensibilidade à luz e a percepção de que as cores estão desbotadas.

Prefeito de Prado no Paraná debate sobre o consórcio educacional no Seminário dos Municípios Pernambucanos

O Prefeito de Prado Ferreira (PR), Sílvio Antônio Damaceno, é um dos convidados do Seminário dos Municípios Pernambucanos a falar sobre o Consórcio que vem promovendo o desenvolvimento e inovação do Norte do Paraná.

Ele fala dentro do tema O futuro da Educação e o Novo Fundeb. O evento promovido pela Amupe, Governo do Estado e CNM será no dia 09 de julho, no Centro de convenções de Olinda e traz muitas novidades nesta área.

O secretário de Educação Frederico Amâncio, Maria Elza da Silva da Undime, e Karine Barros Villar, secretária de Educação de Panelas reforçam o time para falar de educação. As inscrições estão abertas pelo site www.amupe.org .

Os prefeitos pernambucanos querem conhecer a experiência do Paraná que está iniciando uma revolução na educação com essa nova forma de administrar através do consórcio criado por 10 municípios que escolheram um secretário regional de Educação, a partir de um processo seletivo técnico que está coordenando todas as ações. O prefeito Silvio Damaceno vem falar sobre a ação do consórcio e como ele poderá transformar a educação pública de municípios.

O Seminário Estadual de Municípios Pernambucanos também vai debater   a Reforma da Previdência nos Municípios; Desenvolvimento Social como Política de Segurança; Inovações Tecnológicas e mídias sociais como ferramentas de comunicação. Também como tema Turismo e Cultura como fortalecimento do desenvolvimento e Vida Saudável para as Pessoas; O combate às doenças endêmicas.

Paralelo ao Seminário será lançado a Cúpula Hemisférica de Prefeitos e Autoridades Locais Latino-Americanas, Congresso que irá acontecer no Recife, em 2020.

Paulo Câmara inaugura ampliação da emergência do Hospital Getúlio Vargas

Governador visitou a segunda parte da reforma e expansão da unidade de saúde, cuja conclusão total duplicou o número de leitos de urgência

Governador Paulo Câmara esteve presente na inauguração

Fotos: Helia Scheppa/SEI

O governador Paulo Câmara, ao lado do secretário estadual de Saúde, André Longo, entregou à população, nesta terça-feira (02.07), a segunda fase da ampliação da emergência do Hospital Getúlio Vargas (HGV), no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife. A nova etapa da reforma acrescenta mais 28 leitos de urgência e emergência, com a instalação das salas vermelha e amarela para o atendimento aos pacientes mais graves – sendo 14 em cada uma delas. A primeira fase da reforma foi concluída e entregue ainda no final de setembro de 2018. Foi realizada também a modernização da subestação de energia, que vai promover um aumento de 50% em sua capacidade elétrica.

O governador explicou que, apesar dos desafios de se fazer saúde pública no País, o Estado não tem medido esforços para melhorar os serviços prestados. “Temos cuidado disso com recursos próprios, pois o SUS não tem uma política nova de ampliação. Todo esse esforço está vindo do Governo do Estado. Foram R$ 13,6 milhões aplicados aqui, e vamos continuar a olhar todas as unidades, procurar cada vez mais humanizar o atendimento e fazer campanhas preventivas”, afirmou Paulo Câmara, alertando para o aumento do número de pacientes devido ao crescente montante de acidentes de trânsito. O HGV é certificado como hospital de ensino e referência em traumato-ortopedia no Estado.

Desde o ano passado, foram instalados 22 novos leitos para ampliação da sala verde, que atualmente conta com 72 vagas. A conclusão total das obras permitiu uma expansão total de 275%, saindo de 825 m² para 2.268 m², e a duplicação da capacidade de leitos, de 50 para 100. “Tivemos uma preocupação de aumentar essa área. O espaço físico hoje é três vezes maior que o original. Onde puder haver ampliações e melhoria do serviço, como estamos fazendo aqui no Hospital Getúlio Vargas, nós vamos continuar a fazer nos outros hospitais de Pernambuco”, assegurou o governador.

“É um reforço importante não só para o hospital, mas para toda nossa rede de emergência. Sabemos que um dos maiores desafios hoje é qualificar essa atenção para fazer com que a intervenção possa ocorrer no tempo oportuno. Então, é atender com qualidade e em tempo oportuno. E, sem dúvida, essa expansão vai ajudar no processo de qualificação da assistência aos doentes mais graves que procuram a nossa emergência”, disse o secretário de Saúde, André Longo.

O secretário também alertou para a grande quantidade de acidentes de transportes terrestres, com destaque para as motos, que correspondem a mais de 72% dos sinistros. Segundo ele, Pernambuco registra 100 acidentes por dia, dos quais 20% requerem internamento por mais de 72h. Além disso, André Longo lembrou que a crise fez com que 200 mil pernambucanos perdessem o plano de saúde.

“Temos que estar preparados para a expansão de toda a rede, para dar conta dessa nova demanda por conta da crise econômica. É todo um esforço que estamos fazendo no sentido de reduzir a superlotação das nossas emergências. Temos um plano sendo estruturado para que a gente possa ampliar a resolutividade do interior do Estado, para que a gente tenha menos doentes vindo para a Capital e para que a gente possa também ampliar os leitos de retaguarda. Esse é um investimento de mais de R$16 milhões, sendo mais de R$ 13 milhões do Tesouro Estadual, e em torno de R$ 3 milhões de recursos federais. É um esforço grande do Governo do Estado, mostrando todo o compromisso do governador Paulo Câmara em dotar a Saúde de uma melhor qualidade”, destacou.

Queda dos preços afeta produtor de leite em Pernambuco

O fomento aos negócios relacionados à bacia leiteira de Pernambuco foi o tema da primeira reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite e Derivados, realizada ontem, em Garanhuns, Agreste do Estado. Criada em março deste ano, a câmara reuniu representantes do governo do Estado, produtores de leite e indústrias do setor. Atualmente, são produzidos quase dois milhões de litros de leite, por dia, no Estado, mas apenas 300 mil são utilizados pelas empresas locais na produção de laticínios e leite UHT, por exemplo.  Uma das principais reivindicações dos produtores foi a falta de mercado e a queda dos preços de venda devido à mudança no comportamento das grandes indústrias de laticínios, que mesmo instaladas no Estado através do Programa de Desenvolvimento do Estado de Pernambuco (Prodepe), têm reduzido o uso do leite in natura produzido na região em detrimento do leite em pó produzido no Sudeste, ou importado de países como Austrália. “Existem regras no Prodepe que determinam porcentagens de compra do leite produzido no Estado. Vamos intensificar a fiscalização para que empresas que não estiverem cumprindo esse percentual sejam autuadas e possam perder o benefício”, afirmou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach. “A fiscalização é importante, mas, às vezes, através do diálogo, a gente consegue produzir muito mais, e é isso que estamos fazendo na câmara setorial”, pontuou Bruno Schwambach. Para o presidente do Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco (Sinproleite-PE), Saulo Malta, a câmara ajuda a reunir os entes interessados no crescimento do setor. “Porque as indústrias vão buscar leite em outro Estado tendo em Pernambuco? Nosso pior inimigo é o leite em pó. Por isso, pedimos que o Estado fizesse uma auditoria nas empresas que tenham Prodepe”, reclamou Malta, do Sinproleite-PE. Os produtores esperam que até o início de junho essa auditoria seja concluída. Ao todo, 32 empresas são beneficiadas pelo Prodepe. A bacia leiteira pernambucana envolve 27 localidades da Zona da Mata, Agreste e Sertão. O setor tem sofrido desde o período mais agudo da seca no Estado, a ponto de ter perdido mais de 550 mil animais do rebanho bovino entre 2012 e 2018. Hoje, dos 107 mil produtores, cerca de 40 mil trabalham diretamente com os produtos da bacia leiteira. Pernambuco é o segundo maior produtor do Nordeste, só perde para a Bahia, e o 8º no Brasil. Como produz mais do quem vem sendo utilizado pelas indústrias, o excedente é comprado por queijarias ou vendido para pequenos laticínios clandestinos. “O litro do leite hoje é vendido por R$ 1,10. Há quatro meses estava a R$ 1,47. Queijo barato na feira é igual a leite vendido barato pelo produtor”, disse Malta.

Corpo de Gabriel Diniz é velado em João Pessoa

Fãs de Gabriel Diniz fazem fila para ver caixão com o corpo do cantor em velório, em ginásio de João Pessoa. Foto: TV Globo/Reprodução

O corpo do cantor Gabriel Diniz chegou ao ginásio de esportes Ronaldão, no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa (PB), por volta de 5h desta terça-feira (28). Até às 8h, o espaço ficou restrito à família e aos amigos mais próximos do cantor, que morreu na queda de um avião de pequeno porte junto com outras duas pessoas na tarde desta segunda (27).
Durante toda a madrugada, fãs ocuparam a entrada do ginásio. Após serem liberadores para entrarem no Ronaldão, eles precisaram por uma espécie de corredor para se aproximar do caixão de Diniz.  Uma missa, também aberta ao público, será celebrada pelo Padre Luiz Carlos, por volta das 15h. Uma hora depois, às 16h, o corpo do cantor seguirá em cortejo em carro aberto do Corpo de Bombeiros para o Cemitério Parque das Acácias, no bairro José Américo.
Algumas celebridades já passaram pelo local. O cantor Matheus, da dupla Matheus e Kauan, e os humoristas e influenciadores digitais Gkay e Renan da Resenha.
 
MORTE
Gabriel Diniz faleceu aos 28 anos em acidente aéreo no município de Estância, litoral sul de Sergipe, na região de manguezal do Porto do Mato, perto da divisa com a Bahia. O voo saiu de Feira de Santana-BA, onde ele fez show no último domingo, com destino a Maceió-AL, onde comemoraria o aniversário de sua namorada, a psicóloga alagoana Karoline Calheiros, com quem estava há dois anos e que completou 25 anos desta segunda-feira (27). O piloto Abraão Farias e o copiloto Linaldo Xavier também morreram na tragédia.
TRAJETÓRIA
José Gabriel de Souza Diniz nasceu em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, mas alcançou o sucesso no Nordeste. Mudou-se para a Paraíba na adolescência e formou sua primeira banda, chamada Loucos por Forró, quando estava na escola. Começou a estudar engenharia elétrica na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), mas largou o curso em 2010, quando foi convidado para ser vocalista da Capim com Mel, banda de sucesso no Nordeste durante os anos 2000, ao lado de Leidinha Falcão. O escritório do grupo ficava no Recife, cidade onde ele fincou os alicerces de sua carreira.
O artista também integrou a Cavaleiros do Forró, criando o nome artístico “Gabriel Diniz” em 2011 e iniciando a carreira solo no ano seguinte. Deslanchou mesmo quando entrou para o time de artistas da produtora Luan Produções e Eventos, a mesma de nomes como Wesley Safadão, Márcia Fellipe e Aldair Playboy. Começou a ficar popular nessa rota lucrativa de eventos que mesclam artistas de forró, sertanejo e arrocha. Ele próprio, inclusive, passeava bastante entre os três gêneros.

A partir de março, os Correios aumentarão o preço do frete

(Foto: reprodução)

A partir do dia 6 de março, teremos um reajuste de 8,03% no valor dos fretes realizados pelos Correios. Esta correção deverá variar de acordo com a localidade.

Depois de enfrentar uma batalha judicial contra e-commerces e associações no ano passado, que entraram na justiça para barrar o reajuste dos fretes, os Correios decidiram não repetir a dose em 2019. Em comunicado ao canal E-Commerce Brasil, a estatal afirmou que o novo aumento ficou abaixo do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) de 2018, que foi de 8,74%. O que parece ter sido considerado razoável pela indústria.

Em nota, os Correios também informaram que estão criando novas opções aos clientes: “Para a manutenção dos redutores de preço nas postagens de encomendas das micro e pequenas empresas, foi disponibilizado um pacote básico, que pode ser contratado pela internet. Esse pacote de serviços contempla preços mais competitivos em relação aos praticados na modalidade de pagamento à vista, permite faturamento das postagens e não possui cobrança de valor mínimo mensal”.

PAC ficará mais barato

O PAC (Prático, Acessível e Confiável) é um método de entrega dos Correios disponível para todos os municípios brasileiros, com prazo de entrega que varia de sete a dez dias úteis. Também a partir do dia 6 de março, este tipo de frete passará a contar com redutores de preço de até 4% em contratos de varejo, desde que a pré-postagem seja efetuada de forma eletrônica.

Os Correios também confirmaram o fim da exigência de quantidade mínima de encomendas, que agora passa a valer de acordo com o valor mínimo mensal.

Por fim, depois de ter sido suspenso em 2018, o pacote de serviços Encomenda 1 voltará a valer, com cobrança mínima mensal de R$ 1 mil em consumo de serviços de encomendas. Os clientes que contrataram esse pacote de serviços e possuem faturamento abaixo desse valor serão migrados para o pacote básico.

Apesar do reajuste incidir muito mais sobre o e-commerce nacional, leia-se micro e pequenas empresas, também significa um aumento no valor dos serviços prestados por estas empresas aos seus clientes. Com a redução do PAC, por exemplo, os custos do serviço podem não aumentar para o consumidor. Já a correção dos valores dos fretes em 8,03% poderá representar o aumento no custo da mercadoria para os clientes.

Fonte: E-Commerce Brasil

STF autoriza Lula a deixar a prisão para encontrar familiares em São Bernardo

Foto: Reprodução/Twitter

Foto: Reprodução/Twitter

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, autorizou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixe a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR), para se encontrar com familiares, em São Paulo. Ele está autorizado a ver o corpo do irmão, mas apenas se o cortejo for até uma base militar. Genival Inácio da Silva, o Vavá, morreu na terça-feira (29/1), em decorrência de um câncer.
Na decisão, o magistrado determina que a PF garanta a segurança do ex-presidente durante o deslocamento. Ele afirma que o encontro deve ser em uma base militar. “Concedo ordem de habeas corpus de ofício para, na forma da lei, assegurar, ao requerente Luiz Inácio Lula da Silva, o direito de se encontrar exclusivamente com os seus familiares, na data de hoje, em Unidade Militar na Região, inclusive com a possibilidade do corpo do cujo ser levado à referida unidade militar, a critério da família”, diz um trecho da decisão.
“Fica assegurada a presença de um advogado constituído e vedado o uso de celulares e outros meios de comunicação externo, bem como a presença de imprensa e a realização de declarações públicas”, completou Toffoli.
A decisão de Toffoli veio após a juíza da Vara de Execuções Penais de Curitiba, Carolina Lebbos, rejeitar, no início da madrugada desta quarta-feira (30/1), o pedido do ex-presidente para que pudesse comparecer ao velório. A magistrada acolheu manifestação do Ministério Público Federal e seguiu ofício da Polícia Federal, que negou, em decisão administrativa, o comparecimento do petista ao velório.
Desde abril do ano passado, o petista cumpre pena de 12 anos e um mês pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso triplex do Guarujá (SP), no âmbito da Operação Lava-Jato. Os advogados de Lula apresentaram o pedido para que o ex-presidente pudesse comparecer ao velório de Vavá às 15h50 desta terça. A juíza então intimou o Ministério Público Federal para que se manifestasse.
Às 18h14, a defesa reiterou o pedido e requereu que a magistrada decidisse mesmo sem o parecer do Ministério Público Federal, que ainda não havia sido apresentado. Os advogados alegaram que o caso era urgente, já que o velório ocorreria ainda na terça.
Às 19h43, o procurador da República da 4ª Região Januário Paludo pediu que fosse apresentado, pela Polícia Federal, relatório sobre a viabilidade do transporte e da escolta de Lula a São Bernardo do Campo. A juíza então oficiou a PF para que apresentasse a análise.
Em ofício encaminhado às 21h50, a Polícia Federal tomou a decisão administrativa de rejeitar o pedido do petista. A PF viu risco de fuga, de resgate ou até mesmo de manifestações de populares que pudessem ferir a integridade do petista e dos presentes no velório.
O superintendente da Polícia Federal do Paraná, Luciano Flores de Lima, ainda ressaltou que “os helicópteros que não estão em manutenção estão sendo utilizados para apoio aos resgates das vítimas de Brumadinho”.
De posse da decisão da PF, o Ministério Público Federal se manifestou, às 22h26, contra o pedido de Lula. Foi só após o parecer que a juíza vetou a ida de Lula ao velório de Vavá, já na madrugada desta quarta.
Antes mesmo da decisão, os advogados do ex-presidente impetraram um pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. No pedido, a defesa alega que o presidente passa por “constrangimento ilegal”, já que o direito de comparecer a velórios de parentes é “cristalino”. O desembargador de plantão, Leandro Paulsen, não analisou o pedido por considerá-lo “prematuro”, já que Lebbos ainda não havia tomado sua decisão.
 
Precedente 
Em 1980, durante o regime militar, Lula foi liberado da prisão que cumpria no Departamento de Ordem Política e Social (Dops), por causa da participação dele nas greves dos metalúrgicos, para comparecer ao enterro da mãe, Dona Lindu. À época, o então sindicalista permaneceu 32 dias preso.

Ao negar Lula no velório do irmão, PF diz que deslocou helicópteros para Brumadinho

Ao indeferir pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ir ao velório de seu irmão Genival Inácio da Silva, o Vavá, falecido nesta terça-feira (29), a Polícia Federal ressaltou que os helicópteros da corporação, que poderiam ser usados para o transporte do petista, foram deslocados para os trabalhos de resgate e assistência às vítimas de Brumadinho, Minas Gerais. A PF ainda ressaltou as dificuldades de policiamento e de garantia da integridade do próprio ex-presidente. O ofício embasou a decisão da juíza da Vara de Execuções Penais, Carolina Lebbos, que rejeitou pedido de Lula para ir ao velório do irmão.

Em decisão administrativa, o superintendente da Polícia Federal no Paraná,  Luciano Flores de Lima, afirmou que o ‘deslocamento por si só resta inviabilizado, seja porque os helicópteros da PF estão sendo utilizados no momento em Minas Gerais, para auxiliar nos resgates de Brumadinho, seja pela ausência de tempo hábil para o deslocamento da única aeronave da PF disponível no momento’.

O delegado ainda afirmou que, mesmo se houvesse a disponibilidade de aeronaves, “a distância entre o ponto mais provável de pouso de helicóptero e o local dos atos fúnebres é de aproximadamente 2 km, percurso que teria que ser feito por meio terrestre, o que potencializa dos riscos já identificados e demanda um controle e interrupção de vias nas redondezas” conforme apontado acima pelo levantamento da DIP [Departamento de Inteligência]’.

Um relatório da inteligência da diretoria de inteligência da PF ainda levou em consideração três situações de risco: “1 – Fuga ou resgate do ex-presidente Lula; 2 – Atentado contra a vida do ex-presidente Lula; 3 – Atentados contra agentes públicos; 4 – Comprometimento da ordem pública; 5 – Protestos de simpatizantes e apoiadores do ex-presidente Lula; 6 – Protestos de grupos de pressão contrários ao ex-presidente Lula”.

O superintendente da PF no Paraná viu ainda a ‘ausência de policiais disponíveis tanto da PF quanto da PC e PM/SP para garantir a ordem pública e a incolumidade tanto do ex-presidente quanto dos policiais e pessoas ao seu redor’.

Apontou também ‘as perturbações à tranquilidade da cerimônia fúnebre que serão causadas por todo o aparato que seria necessário reunir para levar o ex-presidente até o local’.