Décimo terceiro do INSS 2024: veja quem recebe o benefício mais cedo

Imagem: sede do INSS

Jefferson Albuquerque

Na próxima semana, os aposentados e pensionistas do INSS começarão a receber o décimo terceiro do INSS 2024 em suas contas.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou um decreto em março antecipando o pagamento do abono anual aos beneficiários da Previdência Social.

Essa medida, destinada a proporcionar um alívio financeiro, foi oficializada por meio de publicação.

Décimo terceiro do INSS 2024: quem vai receber o benefício mais cedo?

O abono será concedido aos indivíduos que, ao longo de 2024, tenham recebido auxílio por incapacidade temporária, auxílio-acidente, aposentadoria, pensão por morte ou auxílio-reclusão da Previdência Social.

Assim como nos anos anteriores, os pagamentos do décimo terceiro do INSS 2024 serão destinados a 30 milhões de aposentados e pensionistas, ocorrendo entre os dias 24 de abril e 8 de maio.

Com o objetivo de injetar R$ 62,6 bilhões na economia, o governo federal optou por antecipar o pagamento do abono anual aos beneficiários do INSS.

Os pagamentos seguirão os calendários de abril e maio, mantendo as mesmas datas do calendário de pagamentos padrão do INSS, conforme ocorreu nos anos de 2022 e 2021.

É importante ressaltar que, em 2023, a antecipação dos pagamentos ocorreu nos meses de maio e junho, seguindo uma dinâmica ligeiramente diferente.

Quem não vai ter direito ao décimo terceiro do INSS 2024?

O décimo terceiro do INSS 2024 é destinado exclusivamente para aqueles que receberam aposentadorias, pensões e auxílios, como os de incapacidade temporária e reclusão, durante o ano em questão.

Isso implica que os beneficiários de programas assistenciais, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC), não têm direito ao décimo terceiro do INSS.

Qual o valor do décimo terceiro INSS?

A fórmula básica para calcular o décimo terceiro do INSS 2024 envolve a divisão da média da renda mensal por 12 (número de meses no ano), seguida da multiplicação pelo número de meses em que o benefício está ativo.

Por exemplo, considerando uma pessoa que se aposentou há cinco anos e tem uma renda mensal de R$ 3 mil, o décimo terceiro será equivalente a R$ 3 mil.

Esse valor é dividido em duas parcelas iguais, cada uma correspondendo a 50% do total.

Portanto, a primeira parcela será de R$ 1,5 mil. No entanto, se houver descontos, como o Imposto de Renda, o valor da segunda parcela será reduzido, representando a outra metade do total.

É crucial lembrar que para aqueles que tiveram o benefício ativado recentemente, os cálculos serão diferentes.

Em vez de multiplicar o valor médio do benefício ao longo do ano por 12, é necessário multiplicá-lo pelo número de meses em que o benefício esteve ativo.

INSS