Afogados informa que nesta terça (25) foram notificados 59 casos novos para a COVID-19

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que nesta terça (25) foram notificados 59 casos novos para a COVID-19 em nosso município.

São 22 pacientes do sexo masculino, com idades entre 16 e 65 anos. Desses: 19 vacinados com 02 doses ou dose única, 01 não vacinado, 01 com vacina não informada e 01 com 01 dose. E são 37 pacientes do sexo feminino, com idades entre 14 e 82 anos. Dessas: 36 vacinaras cok 02 doses ou dose única e 01 com 3 doses.

Hoje não temos novos casos em investigação e 300 pacientes apresentaram resultados negativos para a COVID- 19.

Nesta terça, 31 pacientes apresentaram alta após avaliação clínica e/ou epidemiológica. O município atingiu a marca de 5.560 (93,24%) recuperadas para a covid-19. Atualmente, o município tem 329 casos ativos para a COVID – 19.

Afogados atingiu a marca de 29.911 pessoas testadas para a covid-19, o que representa 80,27 % da nossa população.

Casos leves x SRAG/COVID – 19:
Leves: (5.790 casos), 97,09%;
Graves: (173 casos), 2,91%.

Progressistas oficializam pré-candidatura de Dr. Aluizio Coelho a deputado federal

O presidente estadual do Partido Progressistas (PP) e deputado federal Eduardo da Fonte, ao lado do vice-presidente do partido, Lula da Fonte, e da deputada estadual Roberta Arraes (PP) oficializou nesta terça-feira (25), em Araripina, a filiação ao partido e a pré-candidatura de Dr. Aluizio Coelho a deputado federal. Na ocasião, o pré-candidato confirmou apoio à reeleição de Roberta. “A população do Araripe precisa de um deputado federal que lute e trabalhe por esse lugar, aproveitando o grande potencial que a nossa região oferece, como as terras férteis, a produção de gesso e energia eólica, por exemplo. Também é necessário trabalhar em prol da saúde e dos principais setores de interesse do povo. Tenho certeza de que, uma vez sendo eleito, e com o apoio de Roberta e Eduardo da Fonte, iremos realizar um grande trabalho por aqui”, registrou Dr. Aluizio.  “Ficamos muito felizes por ver Aluizio, um grande médico e liderança política, integrar a nossa equipe dos progressistas. Ele chega pra somar, não só com o partido, mas com todo o estado de Pernambuco. Juntos, sei que iremos desenvolver projetos que tragam ainda mais melhoria de vida para os pernambucanos, não só na saúde, mas também, em todos os outros seguimentos”, disse Roberta Arraes.  Formado em medicina, Dr. Aluizio é especialista em obstetrícia e ginecologia, tendo atuado em diversos hospitais da região.  Com evidente interesse por projetos na área da saúde e pelas questões sociais, o médico já disputou eleições como candidato a prefeito, vice-prefeito e deputado estadual de Araripina, tendo obtido expressiva votação nas urnas. Estiveram presentes no ato de filiação os vereadores  Silvano do Morais, Francisco Edivaldo, Divona e Luciano Belo.

Rodrigo Vilela Assessor de Imprensa – Dep. Fed. Eduardo da Fonte (PP/PE) 

Com alta média móvel, pandemia pode demorar a ir embora do Brasil

 Por: Correio Braziliense

O aumento de casos de Covid-19 por causa da variante ômicron é visto no Brasil desde o início deste ano. A cepa já é responsável por 90% dos casos da doença e fez com que o país voltasse a bater recordes da média móvel de casos. Na Europa, a contaminação de grande parte da população é vista como uma nova fase da pandemia, que pode levar ao fim da crise sanitária. No entanto, especialistas alertam que o desfecho no Brasil pode ser diferente dos países europeus

Para o epidemiologista e vice-coordenador da sala de situação da Universidade de Brasília (UnB) — que monitora a pandemia desde o início —, Mauro Sanchez, “não se pode esperar que, neste ano, a gente tenha as mesmas condições que os países desenvolvidos de tornar a Covid-19 uma doença endêmica. Não depende só do nível de imunização, seja pela vacina ou a imunidade conferida pela infecção natural. Existem outros fatores”, explicou

Segundo Sanchez, no Brasil a disponibilidade de insumos e aplicação de medidas é menos eficaz do que nos países europeus. “A primeira coisa que para nós não é exatamente igual é a rapidez para a disponibilidade das vacinas. A segunda, são os medicamentos antivírus, que estão começando a aparecer e estão começando a ser aprovados. Eles vão ajudar a minimizar a gravidade da situação quando se tem uma sobrecarga de internações. Mas esses medicamentos vão ficar disponíveis com mais rapidez nos países europeus”, disse.

Além disso, o epidemiologista considera que a aplicação das medidas de prevenção contra a doença foi mais difícil no Brasil. “Na Europa, os governantes orientaram a população a usar máscaras, a ficar em casa e a só sair quando necessário. Aqui, a desigualdade social e realidade econômica não permitem que as pessoas tenham espaço para seguir grande parte das recomendações. A gente não tem a possibilidade de adotar essas e outras medidas com a rapidez dos países envolvidos”, salientou.

Para reforçar a distância que separa o Brasil dos principais países europeus, dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) mostram que o Brasil registrou, entre o domingo e ontem, 259 mortes pela Covid-19 — há uma semana, foram 121. Assim, o país acumula 623.356 vidas perdidas para a doença.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Vaciinação de crianças: Prefeitura de Afogados abre agendamento para crianças de 5 à 11 anos sem comorbidades

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira abriu na tarde desta terça (25) o agendamento da vacina contra a COVID-19 para crianças de 5 à 11 anos sem comorbidades.

O agendando deve ser feito pelos pais ou responsáveis no site:

https://www.afogadosdaingazeira.imunizape.com.br

Caso a criança não possua CPF, o campo pode ser preenchido com o CPF do pai, da mãe ou de um responsável pela criança.

Ao todo, em Afogados da Ingazeira, a Secretaria de Saúde contabiliza 3.999 crianças na faixa etária de 5 à 11 anos. O agendamento será agilizado na velocidade em que forem chegando as novas doses da vacina.

 

PE registra mais 2.781 casos da Covid-19 nesta terça

Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela Secretaria Estadual de Saúde. (Foto: Leandro de Santana/Arquivo DP )

Os registros de coronavírus seguem aumentando no estado. De acordo com os últimos dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), nesta terça-feira (25), foram registrados mais 2.781 casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 34 (1%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 2.747 (99%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 672.585 casos confirmados da doença, sendo 55.760 graves e 616.825 leves.

ÓBITOS

Também estão sendo contabilizados nove óbitos, ocorridos entre os dias 10/03/2021 e 23/01/2022. Com isso, o Estado totaliza 20.599 mortes pela Covid-19. Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela Secretaria Estadual de Saúde.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Prefeitura de Afogados inicia o pagamento dos servidores nesta terça (25)

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira inicia nesta terça-feira, o calendário de pagamento dos servidores públicos municipais, aposentados e pensionistas.

Com o pagamento, serão injetados 3,2 milhões na economia local, referentes ao pagamento dos vencimentos de Janeiro de 1.577 servidores.

Confira o calendário:

25/01 – Secretarias de Administração, Agricultura, Assistência Social, Assuntos Jurídicos, Controle interno, Cultura e esportes, Finanças, Governo, Infraestrutura, Transportes, Gabinete, Ouvidoria, Assessoria especial e Coordenadoria da mulher. Aposentados e pensionistas que ganham 01 salário mínimo, com iniciais de A a L.

26/01 – Secretaria de Educação e Aposentados e pensionistas que ganham 01 salário mínimo, com iniciais de M a Z.

27/01 – Secretaria de Saúde e Aposentados e pensionistas com vencimentos de até R$ 3.000,00

28/01 – Aposentados e pensionistas com vencimentos acima de R$ 3.000,00

Covid-19: Taxas de ocupação de UTIs pediátricas chegam a 100% em dois estados

Com o agravamento da situação, especialistas alertam para a importância da vacinação e do uso de máscaras. Foto: Scott Olson/AFP

Por: Correio Braziliense

As taxas de ocupação das Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) pediátricas para atendimento de casos de Covid-19 no Brasil estão altas. Em Belo Horizonte, capital mineira, não há mais nenhum leito disponível, enquanto no Distrito Federal (DF), 94,87% das vagas estão preenchidas. Na Bahia, que ainda sofre com os danos causados pelos temporais do final de 2021, a ocupação passou dos 80%. Com o agravamento da situação, especialistas alertam para a importância da vacinação e do uso de máscaras.

O cenário se deve ao avanço da variante ômicron, cepa do coronavírus com maior transmissibilidade. Agora, além da iminente escassez de leitos para pacientes adultos em diversos estados, a possibilidade de um aumento ainda maior do número de infecções entre as crianças causa preocupação.

No Amazonas, que sofreu com uma crise de falta de oxigênio e respiradores há cerca de um ano, a taxa de ocupação das UTIs está em 50% no setor pediátrico. O Ceará, no entanto, já chegou a 100%.

Para o epidemiologista Jonas Brant, a cena é grave pois configura apenas a “ponta de um iceberg”. “Como é um número muito grande de crianças infectadas ao mesmo tempo, nós acabamos tendo uma sobrecarga na rede assistencial para elas”, afirma.

“Quando há uma sobrecarga na rede, que os serviços começam a chegar próximos do seu limite, a qualidade da assistência começa a cair, porque já não tem os profissionais especializados, não tem os insumos adequados. E como o número de casos é muito grande, estamos tendo um afastamento muito grande de profissionais de saúde também”, explica o especialista.

Ele avalia que a cena mostra “um atraso importante no programa de imunização infantil. A gente poderia já estar com essas crianças imunizadas há algum tempo, nós perdemos 30 dias que estão sendo cruciais nesse momento”.

Cuidados

“Para analisar o crescente número de crianças acometidas pela Covid-19 internadas, com quadros graves, temos que considerar duas características da variante ômicron: primeiro a sua maior transmissibilidade — e quanto maior o número de pessoas infectadas, consequentemente maior também o número de crianças atingidas. Além disso, a não vacinação é um fator de risco. A maioria das pessoas internadas nos hospitais são pessoas não vacinadas ou que não completaram o esquema vacinal”, detalha o infectologista do Hospital das Forças Armadas (HFA), Hemerson Luz.

O especialista esclarece que outra característica da cepa é se manifestar no sistema respiratório alto. “Se considerarmos que, anatomicamente, as crianças têm um sistema respiratório mais curto, o acometimento pelo vírus pode ser mais danoso, a lesão pode ser maior e o processo inflamatório também pode ser maior, levando essas crianças a quadros mais drásticos”, avalia.

De acordo com ele, a vacinação é um caminho para evitar que a saúde dos pequenos fique muito abalada, visto que eles apresentam uma melhor resposta imunológica ao estímulo da vacinação, e alerta: “O vírus vai procurar um caminho para continuar s

disseminando, e esse caminho é nas pessoas não vacinadas — e as crianças compõem esse universo”

Ele aconselha que crianças que não foram vacinadas devem evitar aglomerações e permanecer isoladas de pessoas que apresentem sintomas da doença, ou tenham tido contato com quem esteja com suspeita de contaminação. No caso de os pais testarem positivo para a doença, Luz frisa que é recomendado evitar contato próximo, na medida do possível, fazer uso de máscaras e higienizar as mãos e as superfícies.

Já de acordo com Brant a ventilação também está entre os aspectos mais importantes da prevenção, além do uso de máscaras adequadas. No caso das crianças, é importante que os pais verifiquem se o item de proteção está bem encaixado no rosto, a ponto de forçar que o ar tenha que passar pelo filtro, e não entre pelas laterais, alerta o epidemiologista.

Avanço da Ômicron

O físico pesquisador da Unicamp, Pedro Cintra faz parte de um grupo de pesquisa em epidemiologia matemática no Laboratório Nacional de Computação Científica e também atua com divulgação dos dados da pandemia. Ele diz que São Paulo, Rio de Janeiro e Manaus sãos as cidades que mais tem sido impactadas pelo aumento de casos de coronavírus, causados pela onda da variante Ômicron “Em todas as fases da pandemia no Brasil, esses três estados sempre foram os primeiros a sentirem as novas ondas, como uma espécie de termômetro da pandemia”.

Cintra aponta que a situação da pandemia nas três capitais é resultado do grande trânsito de pessoas. “São Paulo e Rio são um pólo de viagens no país, então é natural que a reintrodução da Ômicron no Brasil cause um aumento mais rápido nessas duas cidades primeiro. Manaus também tem uma mobilidade muito grande, bastante gente viaja para lá, até pela Zona Franca de Manaus”, disse o pesquisador.

Segundo Pedro Cintra, é preciso reforçar a importância de ter o ciclo vacinal completo para que o avanço da ômicron seja combatida no país: “Observando os dados da rede nacional, podemos ver que tem muito idoso, acima dos 70 anos que ainda não tomou a sua terceira dose”

Ele ainda destacou que o mesmo fenômeno acontece com os adultos entre os 20 e 40 anos, “O número de pessoas que não está retornando para tomar a segunda dose nessa faixa etária também está acima do que deveria”. O pesquisador destacou que é importante descobrir os motivos para essa resistência em tomar doses de reforço, “É preciso saber se há uma dificuldade de acesso à vacina ou se é um outro fator, como as pessoas não querendo tomar por algum tipo de rejeição à vacina”, completou.

 

Brasileiros têm bilhões a receber de bancos e não sabem. Veja como descobrir se você é um deles

Com ferramenta do Banco Central, brasileiros conseguem consultar se tem dinheiro para receber de instituições financeiras Foto: Agência O Globo

O Banco Central (BC) lançou um serviço que permite aos cidadãos checarem se têm dinheiro a receber de instituições financeiras. São recursos de cobranças indevidas ou remanescentes de contas antigas encerradas que você pode nem saber que tem direito a receber.

Segundo o Banco Central, um levantamento feito em junho de 2021 mostrou que clientes tinham cerca de R$ 8 bilhões a receber dos bancos. Boa parte das pessoas desconhece ou não se lembra que tem esse direito.

O Sistema de Informações de Valores a Receber (SVR), na página do BC na internet, permite a consulta de recursos remanescentes nas contas, para pessoas físicas e empresas, e facilita o processo de devolução.

O sistema oferece informações sobre saldo credor de contas encerradas, parcelas de empréstimos e tarifas cobradas indevidamente, além de recursos não procurados após o encerramento de grupos de consórcio e cotas de capital a devolver em cooperativas de crédito, entre outros casos.

A consulta é feita em duas etapas. Primeiro você verifica se tem algum dinheiro a receber. Se o sistema disser que não, encerrou-se sua pesquisa. Se disser que sim, você terá que consultar os valores no Registrato.

Como fazer a consulta?

Na página do Banco Central, acesse a seção Minha Vida Financeira. Em seguida, clique na subseção Valores a Receber.

Role a página até o final e clique no último item, chamado Consulta ao Relatório Valores a Receber.

Logo depois aperte “Iniciar consulta” e insira o número do seu CPF. Após a verificação digital, o sistema vai dizer se você tem ou não valores a receber de bancos. Se não tiver, não adianta seguir adiante.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira comunica à população que, tendo em vista o expressivo aumento na demanda de testagem para COVID-19, o serviço voltará a funcionar, já a partir da próxima quinta-feira (27), no CER lll, situado à Rua Padre Luiz de Góes, ao lado do Tribunal Regional Eleitoral.

Dias e horários de funcionamento permanecem os mesmos.