Pagamento de auxílio a caminhoneiros começa a ser pago esta semana

As seis parcelas do auxílio de R$ 1 mil destinadas aos caminhoneiros começarão a ser pagas nesta terça-feira (9). Devido ao atraso no início dos pagamentos, a cota de julho será paga na mesma data, totalizando R$ 2 mil no primeiro mês à categoria.

Têm direito ao benefício os caminhoneiros cadastrados até 31 de maio de 2022 no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC), mantido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e pelo Ministério da Infraestrutura.

Taxistas precisam estar registrados até 31/05/22
Taxistas precisam estar registrados até 31/05/22

Para os taxistas, o calendário de pagamento começa no dia 16. O benefício prevê parcelas mensais de até R$ 1 mil, pago até dezembro de 2022. Neste mês de agosto, os beneficiários também receberão duas parcelas, referentes aos meses de julho e agosto, de até R$ 2 mil ao todo.

Têm direito ao benefício os motoristas de táxi registrados nas prefeituras até 31 de maio de 2022 e que sejam titulares de concessão, permissão, licença ou autorização emitida pelo poder público municipal ou distrital.

Confira o calendário do Benefício Taxista:
16/08 – 1ª e 2ª parcelas
24/09 – 3ª parcela
22/10 – 4ª parcela
26/11 – 5ª parcela
17/12 – 6ª parcela

Covid-19: Brasil registra 7.198 casos e 57 mortes em 24 horas

 (Foto: AFP)
Por: Agência Brasil
O Brasil registrou 7.198 casos positivos e 57 mortes por covid-19 em 24 horas, segundo o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde neste domingo (7). Desde o início da pandemia, foram registrados 34.018.371 casos e 679.996 óbitos pela doença.
No boletim, os dados de casos e mortes de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, do Distrito Federal, do Mato Grosso, do Maranhão, de Tocantins e de Roraima não foram atualizados. O número de óbitos do Mato Grosso do Sul também não.
Entre os que contraíram a doença, 96,2% se recuperaram, o que corresponde a 32.731.706 pessoas. Há ainda 606.669 casos em acompanhamento.
Estados
São Paulo é o estado com maior número da casos e de mortes, com 5,95 milhões e 173.338, respectivamente. Em relação aos casos, o estado do Sudeste é seguido por Minas Gerais (3,83 milhões) e Paraná (2,70 milhões).
O menor número de casos foram registrados no Acre (145.488), Roraima (173.401) e Amapá (177.285). Os três estados também registram os menores números de mortes pela doença: Acre (2.021), Amapá (2.153) e Roraima (2.158).
Vacinação
Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, foram aplicadas 496,51 milhões de doses de vacina contra a covid-19 no Brasil, sendo 178,58 milhões de primeira dose, 159,63 milhões de segunda dose e 4,98 milhões de dose única.
A primeira dose de reforço foi aplicada em 103,56 milhões de pessoas, a segunda dose de reforço em 17,99 milhões e a dose adicional em 4,75 milhões.

Prefeitura de Afogados entrega nesta segunda certificados de qualificação profissional

Estão a todo vapor os cursos de qualificação profissional ofertados pela Prefeitura de Afogados por intermédio da Secretaria de Administração e Desenvolvimento econômico.

Esta semana a Prefeitura de Afogados da Ingazeira, conclui mais uma turma do curso de operador de caixa. “Chegamos ao final de mais um curso de qualificação dentro do Programa CAPACITA mais Afogados. Esse curso foi pensado devido ao crescimento da nossa economia, várias empresas nos últimos anos foram atraídas para a nossa cidade. Esperamos que essa contribuição que a gestão pública vem dando aos nossos profissionais ajude no crescimento, na geração de emprego e renda para a nossa cidade,” afirmou o Secretário de Administração de Afogados, Ney Quidute. O curso de operador de caixa foi realizado em parceira com o Senac.

Certificados – acontece nesta segunda (08), às 19h, a entrega de certificados aos alunos que concluíram os cursos de Informática Básica, Design gráfico Doces e salgados, Preparo de bolos e tortas, Comidas de botequim, Técnicas de comida regional, Preparo de pães, roscas e biscoitos, Funilaria, Operador de caixa e Manipulação de alimentos. Serão entregues 156 certificados ao todo. A cerimônia acontece na sede da AABB.

Prefeitura de Garanhuns inicia nova série de inaugurações e assinaturas de ordens de serviço

Município ganha a partir desta semana novas Creches, Unidades Básicas de Saúde, Escolas, Casa de Acolhimento e muito mais
Com a inauguração da Unidade Básica de Saúde na comunidade quilombola do Sítio Estivas, nesta segunda-feira (08/08), às 11:00h, a Prefeitura Municipal de Garanhuns dá início a mais uma série de entregas à população. Até o início de setembro, a gestão municipal estará inaugurando 13 novos equipamentos públicos, e também dando contiuidade a assinaturas de ordens de serviço para conclusão de creches, construções e requalificações de praças.O próprio prefeito Sivaldo Albino tem acompanhado a evolução das obras e ajustes para que a população seja beneficiada. “Enquanto a cidade vivia o maior, melhor e mais intenso Festival de Inverno da história, nós avançávamos nas obras e reformas para estas entregas, que vão melhorar a qualidade de vida das pessoas. Um compromisso assumido que está virando realidade.”, revela o prefeito. Serão entregues seis reformas de Unidades de Saúde, a Casa de Acolhimento, Centro de Educação Infantil da Escola Miguel Arraes, dois CAPS, sendo um AD e outro 24h, e duas creches que constavam da relação de obras inacabadas há mais de 10 anos: Vale do Mundaú e Cohab III.Cronograma:08/08, 11h – UBS Estivas12/08, 16h40 – UBS Indiano I15/08, 15h40 – UBS Liberdade16/08, – Centro de Educação Infantil Miguel Arraes17/08, 17h – Unidade de Acolhimento Noturno19/08, 15h40 – UBS Magano 222/08, 10h40 – CAPS AD23/08, 15h40 – UBS São José24/08, 10h40 – Escola Padre Agobar da Mota Valença25/08, 10h40 – UBS Parque Fênix29/08, 15h40 – Creche do Vale do Mundaú30/08, 15h40 – CAPS 24h31/08, 15h40 – Creche da Cohab IIIOrdens de Serviço (Relação pode contar com novas inclusões)01/09, 15h40 – Creche de Manoel Xéu; Creche da Massaranduba; Requalificação da Praça do Distrito de Miracica; e da Praça na Av. Deolinda Silvestre Valença (João da Mata).

Durante Convenção da Frente Popular de Pernambuco, Gonzaga Patriota exala ânimo e confiança para sua reeleição

Com muita animação e entusiasmo, o deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) participou do evento da Coligação “Frente Popular de Pernambuco” que oficializou, nesta sexta-feira(5), as candidaturas de Danilo Cabral (PSB) a governador, Luciana Santos (PCdoB) a vice e Teresa Leitão (PT) para o Senado.

Gonzaga Patriota, que atualmente é o decano da Câmara dos Deputados, oficializou a sua reeleição e concorre ao seu 11º mandato como deputado federal. O parlamentar mostrou disposição, experiência e confiança para enfrentar os novos desafios e o processo eleitoral.

“Estou bastante animado, cada eleição é única, como se fosse a primeira. Os desafios são grandes, mas a minha experiência e o trabalho que tenho realizado ao longo dos anos são maiores. Agradeço a cada um que esteve hoje neste grande ato democrático e conto com o apoio de todos, para que, juntos, possamos seguir avançando”, disse Gonzaga Patriota, candidato à reeleição.

Caravanas com apoiadores e militantes de todo o Estado lotaram o Clube Português dando uma grande demonstração de força a todos os nomes que vão concorrer às vagas de deputado estadual e federal, além dos três candidatos principais.

Lula tem maior tempo de TV e rádio; confira a divisão entre os candidatos

Por: Ana Mendonça – Estado de Minas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conseguiu o maior bloco partidário para disputar o Palácio do Planalto. O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, tem a segunda maior composição. O número de partidos na coligação é importante porque através dele se traduz o tempo de propaganda e fundo eleitoral. Além disso, a coligação também assegura capilaridade da busca por votos.

Com a definição das chapas e coligações que disputarão a corrida pelo Palácio do Planalto, neste ano, já é possível estimar o tempo de rádio de TV que cada candidato terá para expor suas propostas.

Pela lei, a divisão do tempo de propaganda é definida proporcionalmente ao peso dos partidos que formam as coligações. O peso de cada legenda é medido pelo tamanho das bancadas desses partidos na Câmara. Ou seja, quanto maior a bancada, maior o peso.

Os blocos fixos da propaganda eleitoral começam a ser exibidos no dia 26 de agosto. Cada bloco terá, ao todo, 12 minutos e 30 segundos de propaganda.

Lula tem o apoio do PSB, Solidariedade, PSOL, Rede, Avante, Agir, PROS, PCdoB e PV. Esses partidos elegeram 140 deputados federais, 13 senadores e oito governadores em 2018.

Já Jair Bolsonaro, tem o segundo maior grupo. Além do PL, o Progressistas e Republicanos também vão apoiar a tentativa de reeleição. Em 2018, os partidos elegeram 101 deputados federais, sete senadores e um governador.

Além dos blocos, os candidatos também podem fazer inserções de 30 segundos dos partidos que são transmitidas ao longo da programação geral. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a quantidade de inserções também varia conforme o tamanho de cada coligação.

Com isso, Lula deve ter uma média de 7,5 inserções e Bolsonaro 6 inserções diárias. Os números são uma projeção com base nos critérios adotados pelo TSE. A divulgação da divisão do tempo será feita oficialmente pela Justiça Eleitoral no dia 12 de agosto.

Outros nomes na corrida

A candidata ao Planalto Simone Tebet (MDB) terá o terceiro maior tempo. Ela conta com o apoio de três partidos: MDB, PSDB e Podemos e Cidadania. Juntas, essas legendas elegeram 82 deputados federais, seis governadores e 11 senadores em 2018.

A senadora Soraya Thronicke (União Brasil) e o senador Ciro Gomes (PDT) contam apenas com apoio do próprio partido.

O União Brasil, legenda que surgiu depois da fusão entre PSL e DEM, elegeu 81 deputados federais, cinco governadores e oito senadores em 2018. Já o PDT, elegeu 28 deputados federais, dois senadores e um governador em 2018.

Confira o tempo de cada candidato

Luiz Inácio Lula da Silva – PT, PCDOB, PV, SOLIDARIEDADE, PSB, REDE, PSOL, AVANTE E PROS – 3 min e 16s

Jair Bolsonaro – PL, PROGRESSISTAS E REPUBLICANOS – 2 min e 40s

Simone Tebet – MDB, PSDB, PODEMOS E CIDADANIA – 2 min e 16s

Soraya Thronicke – UNIÃO BRASIL – 2 min e 7s

Ciro Gomes – PDT – 50s

Roberto Jefferson – PTB – 20s

Felipe D’Avila – NOVO – 19s

Eymael – DEMOCRACIA CRISTÃ – 8,3s

Verá Lúcia – PSTU- 6,8s

Sofia Manzano – PCB – 6,8s

Leonardo Péricles – UP – 6,8s

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Danilo: “Se a comida mata a fome do povo, a cultura é que alimenta a alma”

Enquanto Bolsonaro passeava de moto no Recife, neste sábado (6), o time de Lula estava defendendo a cultura em um ato político promovido pela Frente Popular, na Casa da Rabeca, em Olinda. O candidato a governador Danilo Cabral criticou o desmonte que o atual presidente da República promoveu no setor; reforçando que Lula vai voltar a governar o Brasil, reconstruindo o segmento. O socialista também firmou compromissos com a área. “Se a comida mata a fome do povo, a cultura é que alimenta a alma”, cravou Danilo, ao lado das candidatas a vice, Luciana Santos, e ao Senado, Teresa Leitão; e dos candidatos a federal, Pedro Campos, e a estadual, Sileno Guedes.

Danilo reforçou que será “o governador da cultura popular”. E o socialista tem autoridade para tal. Foi a Frente Popular o conjunto político que mais tirou do papel ações e políticas públicas desse segmento em Pernambuco. “Lá atrás, foi Arraes quem mobilizou os artistas no Movimento de Cultura Popular. Uma das primeiras iniciativas de organização da luta do povo, para que se alfabetizasse aquelas pessoas que estavam ali nas periferias do Recife. E a Frente Popular organizou isso juntando artistas. Mais para frente, foi Eduardo Campos quem recriou a Secretaria de Cultura de Pernambuco. Fui secretário de Educação e tive a honra de ter como colega de secretariado Ariano Suassuna”, salientou.

Ao lado de figuras representativas da nossa cultura, como Pedro Salu e dona Leda Alves, Danilo argumentou que vai “fortalecer os instrumentos de escuta popular” quando governador. “Eu não tenho dúvida nenhuma que a gente vai construir uma bonita caminhada. A cultura sempre foi uma expressão da resistência. Nós queremos os conselhos. Ter o Conselho Estadual discutindo, não só aqui no Recife, mas em todo o estado; no Sertão, Agreste e Mata. Nós queremos estar presentes para saber o que cada região pensa”, pontuou o candidato, que também falou em avançar nos mecanismos de financiamento do setor.

“Cultura precisa de dinheiro, de investimento”, explicou Danilo, lembrando que foi a Frente Popular quem triplicou os investimentos em políticas públicas na área. “Vocês terão sentado naquela cadeira o ‘governador da cultura popular de Pernambuco’. Eu sou animado. A gente precisa animar o povo. Eu estou muito animado para que a gente fazer o povo pernambucano dar um salto de qualidade. Viva a cultura de Pernambuco, viva a cultura popular!”, encerrou.

Luciana projeta campanha pautada em ideias, compromissos e legado

Para a vice-governadora Luciana Santos (PCdoB), a convenção da Frente Popular de Pernambuco, realizada nesta sexta-feira (5), sinalizou o caminho que será adotado pela coligação. “A campanha terá esse espírito, de conteúdo, do debate de ideias, dos compromissos assumidos com o povo pernambucano e de um legado que foi construído pela Frente no comando de nosso Estado”, disse ela, que teve seu nome oficializado como vice na chapa encabeçada por Danilo Cabral (PSB).

Em seu discurso no evento, Luciana ressaltou a trajetória do candidato e sua vinculação com ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Você, Danilo, tem a confiança de quem sabe fazer, porque você fez. Foi o secretário que tirou Pernambuco dos piores lugares da educação e colocou em primeiro lugar. Por isso, tenho certeza de que vai ser com essa raça do povo pernambucano, com a luta da gente na rua e a justeza de nossas ideias que vamos vencer. Você está pronto para governar Pernambuco. E Lula veio aqui dizer isso, que você é o candidato de Luiz Inácio Lula da Silva”, afirmou.

De acordo com a vice, Danilo “é da escola de Miguel Arraes e Eduardo Campos”. “Você é da escola da unidade. Você já foi cogitado para ser prefeito, governador e nem por isso deixou seu partido porque naquele determinado momento não foi escolhido. Você está há 32 anos no PSB, lutando e defendendo os interessas do povo na Frente Popular”, completou.

Segundo ela, Pernambuco sempre se uniu em momentos difíceis, como na Restauração Pernambucana e na Batalha de Tejucupapo, “E, nessa hora, não vai ser diferente. Não vamos tergiversar, nem ter dúvidas.”

Em conversa com um repórter ao final da convenção, Luciana comparou o momento atual com aquele em que foi indicada para ser vice de Paulo Câmara, há quatro anos. Segundo ela, as eleições deste ano impõem maiores desafios, diante do cenário nacional deixado pelo presidente Jair Bolsonaro, com impactos nos estados.

“Vivemos um ambiente de terra arrasada, de retrocessos inimagináveis. Por isso, a responsabilidade dessa batalha é gigantesca. Vamos ter que garantir maioria política e a retomada de ação necessárias para a população. Aqui em Pernambuco, amargamos a perseguição de Bolsonaro, um presidente que não gosta do Nordeste, que só agride as pessoas, que não cuidou do mínimo e do básico. E nós tivemos repercussões disso aqui”, criticou.

Para Luciana, apesar das dificuldades, o governador Paulo Câmara tem deixado “Pernambuco de pé” e garantido investimentos, com o Plano Retomada. Segundo ela, o Estado tem agora a possibilidade, com Danilo, de resgatar a parceria com o governo federal, a partir de uma eventual vitória de Lula. “Se muito vale o já feito, mais vale o que será! Vamos viver um outro contexto, com a possibilidade de ter Lula presidente. Estamos aqui com essa tarefa, fazendo nosso dever de casa. E penso que dias melhores virão”, concluiu.

Mesmo após a sanção, piso da enfermagem ainda enfrenta indefinições

Por: Raphael Pati – Correio Braziliense

Sancionada na última quinta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro, a lei que institui um piso salarial para profissionais de enfermagem só pode ser aplicada, neste momento, em instituições de saúde do setor privado. A Lei 8.112/1990, que instituiu o funcionamento das instituições públicas após a Constituição de 1988, não especifica se esse tipo de garantia deve incidir sobre vencimento ou a remuneração total do funcionário, incluindo gratificações. Caberá a cada unidade da Federação definir esse aspecto.

“No Distrito Federal, a definição vai ser feita junto ao governo. As discussões na Câmara Legislativa terão de acontecer antes da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), para esclarecer se o piso salarial dos enfermeiros da Secretaria de Saúde do DF vai valer em cima do vencimento ou da remuneração dos servidores”, explicou a diretora de Prática da seção do DF da Associação Brasileira de Enfermagem (Aben-DF), Karine Rodrigues Afonseca.

Para ela, o ideal é que o piso considere o vencimento, e não a remuneração total. Dessa forma, o salário dos profissionais já alcançaria o valor mínimo instituído na nova lei, de R$ 4.750 para enfermeiros, R$ 3.325 para técnicos de enfermagem e R$ 2.375 para auxiliares e parteiras. Ela também destaca que, no DF, o piso deve valer sobre a carga horária de 20 horas semanais, já que essa é a jornada normal de trabalho entre os profissionais da categoria.

Além disso, a fonte dos recursos que irão custear o novo salário mínimo da categoria segue incerta. Diante disso, diversas associações que representam a enfermagem se mobilizaram para cobrar de parlamentares e do presidente da República, uma definição sobre o assunto.

“A situação do setor da saúde é extremamente crítica, e as entidades buscam o apoio do Poder Público para encontrar uma solução que garanta o acesso à saúde de toda a população brasileira”, afirma nota assinada, entre outras organizações, pela Federação Brasileira dos Hospitais (FBH).

“A Federação não é contra, em hipótese alguma, o piso salarial da enfermagem. O grande problema é: quem irá pagar essa conta? Qual o custeio? Com isso é que a gente fica muito preocupado”, disse o presidente da entidade, Adelvânio Francisco Morato.

Segundo as entidades do setor, a Lei do Piso da Enfermagem (Lei 14.434/2022) pode gerar um impacto de R$ 22,5 milhões nos cofres do governo federal, de estados e de municípios, além de causar reflexos, também, para o setor de saúde privada.

Para o presidente da FBH, o piso pode impactar drasticamente os hospitais e unidades de saúde localizadas em áreas isoladas. Muitos deles passam por crises financeiras e são a única alternativa de atendimento na região em que se encontram, afirma Morato.

“A Federação Brasileira dos Hospitais (FBH) representa hoje 4.200 hospitais. Desses, 55% têm capacidade de até 50 leitos. Eles não vão dar conta desse impacto. Eles vão fechar e a população vai ficar desassistida”, argumentou.

Tadeu Alencar enaltece a convenção da Frente Popular e garante caminhada firme rumo à reeleição

Presente na Convenção que oficializou a chapa majoritária da Frente Popular, o deputado federal Tadeu Alencar (PSB) avaliou como exitoso o evento político que reuniu nove partidos e uma multidão de militantes, nessa sexta-feira, no Clube Português. O parlamentar também ratificou sua caminhada rumo a mais um mandato, o terceiro consecutivo, na Câmara dos Deputados.

Demonstrando confiança em sua recondução à Câmara, Tadeu se disse completamente motivado para a campanha proporcional. Ele garantiu que continuará atuando de maneira firme, tanto nos embates políticos em nível nacional quanto na defesa intransigente dos interesses de Pernambuco.

“O Brasil precisa de um parlamento altivo, que ajude Lula a recuperar o País e sua governabilidade, seu rumo, sua credibilidade. Estarei nessa luta. Ao mesmo tempo, continuarei atento ao meu Estado, sempre procurando votar de acordo com os interesses de Pernambuco e do seu povo”, acentuou.

Tadeu Alencar , que tem um trabalho político de peso em várias regiões do Estado, garantiu que continuará dispensando total atenção aos municípios e suas necessidades. “Sou majoritário em muitas cidades e regiões e esse apoio tem sido fundamental para ambas as partes. O destino dessas parcerias é continuar e se ampliar”, concluiu.

Sobre a disputa majoritária, Tadeu ressaltou a força da coligação e o nível dos quadros convocados para disputar as eleições deste ano. Compõem a chapa Danilo Cabral (PSB), candidato a governador, Luciana Santos (PCdoB), vice, e Teresa Leitão (PT) para o Senado. A Frente é formada por PSB, PCdoB, PT, MDB, Republicanos, PDT, PP, PV e PROS.

“Fizemos uma bela festa que demonstrou a pujança e a força de uma política que o povo pernambucano já conhece e confia. Demos o pontapé inicial de uma campanha histórica que vai, ao mesmo tempo, recolocar o Brasil no rumo certo e manter Pernambuco avançando cada vez mais”, assinalou Tadeu Alencar que ressaltou o trabalho conjunto nos planos estadual e federal.

“Lula devolverá a esperança na democracia e na prosperidade dos brasileiros e prosperidade só é de verdade quando é inclusiva. E Danilo Cabral, com o apoio da vice Luciana Santos e com Teresa Leitão no Senado trabalharão pelo nosso Estado em harmonia com o governo federal. Já foi assim com Miguel Arraes e com Eduardo Campos. Será assim com Danilo”, lembrou o parlamentar socialista.